“O jantar está pronto”. Assim começa o post publicado no site Arduino.cc anunciando as novidades das placas mais utilizadas por hobbystas, artistas e outros entusiastas de eletrônica e computação. A frase faz menção a outra que estava sendo anunciada no site anteriormente: “Nós estamos cozinhando algo novo para você".


A instituição afirma que a partir de 25 de setembro (hoje), durante a Maker Fair NYC, estará apresentando ao mercado novidades na linha Arduino.


A primeira novidade é que toda a comunicação será redesenhada, inclusive com a criação de um logo com a marca Arduino, bem como nova programação visual para o site e blog. O estúdio ToDo de Turin foi contratado para o desafio de construir uma nova identidade visual para a Arduino.


Outra novidade é o lançamento da loja virtual. Segundo a Arduino, muitas pessoas estavam solicitando que fosse tomada essa iniciativa, no entanto havia a preocupação de que isso pudesse interferir nos negócios dos distribuidores. A Arduino acredita que esse risco já está afastado, e os distribuidores hoje estão bem preparados. Será? O Lab de Garagem espera que o “mal” não domine as pessoas que tomam essas decisões, e que essa fantástica plataforma continue sendo democrática, acessível, e principalmente, 100% aberta, tanto técnica quanto comercialmente. O lançamento da loja está previsto para 18 de outubro.


Certo! Mas e as placas?


Duas novas placas estão sendo lançadas, bem como algumas outras novidades.


A Duemilanove está sendo substituída pela Arduino Uno, além do nome mais fácil para quem não fala italiano, o chip FTDI para interface USB está sendo substituído na Uno pelo Atmel ATmega8U2, que oferece menor latência e não necessita de drivers para Mac ou Linux, sendo necessário apenas um arquivo .inf no Windows. Os usuários mais avançados poderão reprogramar o chip para que a placa possa interagir com uma variedade maior de dispositivos, como: teclado, mouse, joystick, MIDI, entre outros.


A Arduino mostra preocupação com relação a pirataria, de forma que a ToDo redesenhou as placas também, facilitando o reconhecimento das originais pelos usuários, que receberam a certificação CE, e em breve, a FCC.


A placa Arduino Mega também sofreu mudanças, e além do chip Atmel USB, recebeu o processador ATMega 2560, que possui o dobro de memória flash, e preço mais em conta, graças a uma renegociação com fornecedores e revisões no processo produtivo. No entanto, apenas 128K da flash poderão ser utilizados no momento devido a limitações do compilador GCC, mas é esperado em breve a liberação de toda a memória.


A partir de 18 de outubro, será disponibilizado aos compradores, um kit com sistemas modulares de sensores e atuadores, que visam principalmente auxiliar quem está aprendendo a utilizar a plataforma, embora também possam ser utilizados em produtos finais.


Uma interface Ethernet, além de um conector micro-sd estão sendo incorporados em uma outra versão da placa, que contará com um novo bootloader capaz de fazer upload via TFTP. Esta placa poderá receber energia via PoE também.


Além dessas importantes novidades, parece qua ainda haverão mais surpresas. Vamos aguardar ansiosamente!


Pedimos aos garagistas que tomarem contato com essas novas placas e dispositivos, que publiquem suas experiências no blog do Lab de Garagem para que outros possam aprender com elas.


Grande abraço!


Equipe Lab de Garagem

Exibições: 284

Comentar

Você precisa ser um membro de Laboratorio de Garagem (arduino, eletrônica, robotica, hacking) para adicionar comentários!

Entrar em Laboratorio de Garagem (arduino, eletrônica, robotica, hacking)

Comentário de Arilson Mendes em 25 setembro 2010 às 23:49
to indo pro site, obrigado

© 2021   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço