Já estou a algum tempo tentando desenvolver um medidor de consumo de energia para uso doméstico, como forma de aprendizagem e utilidade. Já tentei usar o ACS712 - 05A mas as leituras são muito instáveis, indo de zero a 1023 mesmo não tendo nada conectado. Testei todos os 5 sensores que tenho, são 3 de 5A e 2 de 20A, acredito que não seja código pois já testei muitos, incluindo daqui do LdG. Em tempo, tenho duas placas arduino UNO, uma ROBOCORE  e outra genérica, e testei com ambas. Outro detalhe, usando fonte exclusiva alimentando os sensores ACS com 5V.

  Estou pensando em usar o SCT-013 mas não sei da estabilidade dele em baixa amperagem, aceito sugestão de outro sensor que seja mais indicado.

Exibições: 532

Responder esta

Respostas a este tópico

Olá Maurivan.

   Sim, você interpretou corretamente as instruções do Gustavo.

   Pelo que pesquisei até agora sobre o sensor e a biblioteca, descobri o seguinte ( Gustavo, me corrija se estiver errado ):

   1. O módulo "pega" a corrente AC que está passando pelo orifício do TC ( Transformador de Corrente ), e que está centrada em ZERO AMPERES, e a transforma em uma tensão AC, com nível DC igual a VCC/2, onde VCC é a alimentação do módulo. Neste caso temos na saída do módulo, com um ajuste conveniente do potenciômetro, uma tensão variável, mas sempre positiva, o que está OK para o Arduino.

   2. Aí temos o primeiro problema: A relação entre a corrente que se quer medir e a tensão entregue à entrada digital do Arduino depende do ajuste do potenciômetro. O ideal, neste caso, é medir com um osciloscópio, para ajustar a máxima tensão do módulo igual a máxima tensão que a entrada analógica do Arduino aceita. No caso do UNO, se não for mudada a tensão de referência, este valor é +5 VDC. Na falta do osciloscópio, usa-se um medidor de pico baseado em Arduino. Um sketch que fica lendo a entrada analógica onde está o módulo e enviando pelo monitor serial ou Serial Plotter. Aí ajusta-se o potenciômetro até que não haja nenhuma leitura do máximo do A/D, mas muitas leituras menores mais muito próximas.

Este é o mais fácil. Um pouquinho melhor, seria mandar para o MS( Monitor Serial ) apenas os máximos encontrados.

   3. Feito isto, o potenciômetro está ajustado. Passa-se à etapa de calibração. Pelo que entendi, esta biblioteca usa o método de fazer um grande número de amostras e calcular o valor RMS utilizando uma aproximação discreta da fórmula de cálculo, o que todos os multímetros digitais fazem. Então, conforme o Gustavo, o ideal é usar um ( bom ) amperímetro AC para medir a corrente da carga e ir ajustando o fator de calibração da biblioteca até que as leituras se equiparem.

   Que tal tentar esta abordagem?

Abração.

D.T. Ribeiro.

Boa tarde a todos.

D.T. Ribeiro, esta parece ser uma boa abordagem, estou providenciando amperímetro AC pra tentar fazer esta calibragem. Assim que eu estiver com ele em mão , vou partir pra prova.

Abraço.

Maurivan

Olá amigos!

Primeira parte concluída: Simulador do módulo sensor de corrente ( que eu não tenho ) concluída.

Entrada de 220 VAC do trafo ligada em 127 VAC. Trafo com 15% a mais de tensão no secundário em relação a nominal.

Amanhã partimos para conectá-lo no Arduino e ver como a emonLib vai se comportar.

Abração!

D.T. Ribeiro

RSS

© 2021   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço