Galera, resolvi tirar do projeto um circuito para controle de lâmpadas AC.

eu usei um placa perfurada para desenvolver antes de fabricar a pcb definitiva, justamente para evitar problemas futuros, ia deixar rodando assim por um tempo.

no teste em bancada funcionou perfeitamente, mais quando coloquei no meu quadro de energia começou a piscar.

já fiz a troca dos trias e moc3021 duas vezes, em bancada OK, quando instalo no quadro começa o problema.

fica piscando como se o tivesse tensão no gate do triac.

porem não tem, eu não consegui um osciloscópio para verificar pulso, mais já estou providenciando um para tal projetos.

obs:

Tentei resitores de 1K a 330R no lado de alta tensão!

no lado de sinal uC eu tentei de 330R a 4R7 e mesmo assim os problemas persistiram. 

Exibições: 173

Responder esta

Respostas a este tópico

olá novamente Rasteiro.

     Este seu Triac é realmente um BT136  como está no esquemático  que vc postou?

     Se for,  ele é do tipo "Sensitive Gate",  conforme vc pode conferir na figura a seguir,  que capturei do datasheet dele:

(clique na figura para "zoom")

      Para resolver o problema,  pesquise  APNs (Application Notes)  de bons fabricantes (por exemplo STSiemens, etc),  de como se usa estes Triacs "Sensitive Gate".   É simples de resolver, mas vc mesmo pesquisando irá descobrir bem mais coisas.

     Muito Importante:  a "solução" que vc encontrará nos APNs,  só aplique em  Triacs "Sensitive Gate".   Se aplicar a mesma solução em Triacs  que não sejam desse tipo,  vc poderá ter surpresas desagradáveis.

     abrçs,

     Elcids

ah, esqueci de dizer:

      Pesquise  APNs que mostrem como se usa Triacs "Sensitive Gate"  com  opto-acopladores  tipo  MOC3021.  Isto porque,  há muitos APNs  que mostram formas variadas de disparo do Triac, e muitas dessas formas não consideram a isolação proporcionada por um opto-acoplador para disparo do Gate do Triac.

      Datasheets de optos similares ao MOC3021,  também costumam descrever como se faz esta "interface" para  Triacs "Sensitive Gate".

      Este da Texas,  mostra isso:   "TXIIS29589-1.pdf"

      Mas adiantando:  essencialmente,  o acréscimo de um Resistor entre o Gate e o Terminal "1" do Triac,  resolve a questão, mas um circuito mais adequado (com filtro) como mostrado na figura 6  do Datasheet que postei,  certamente obterá melhores resultados.

      Mas veja a  observação importante  que fiz anteriormente!!!

      abrçs,

      Elcids

Olá, Rasteiro!

Só adicionando um pitaco à resposta do Elcids, não esqueça que o gate não é o único meio de chavear um TRIAC.
Já ouviu falar em dv/dt?

Normalmente o gate é o meio desejável de chavear um TRIAC. Os outros devem ser evitados!

As sugestões do Elcids são o que normalmente os profissionais fazem antes de iniciar um projeto.

de fato,

      o dv/dt  (gradiente de tensão  em relação ao tempo),  deve ser considerado em Projeto,  mas isso depende muito do ambiente em que o Sistema Funcionará.

      É possível que no caso do Rasteiro,  o dv/dt  esteja causando o problema dos disparos "acidentais", mesmo em ambientes domésticos,  já que atualmente existem dispositivos eletrônicos na rede elétrica AC  (como Lâmpadas econômicas e mesmo a LEDs) que geram spikes de tensão  bastante altos e rápidos, caracterizando a inserção de altos dv/dt  na própria linha da rede.  Além disso,  o fato do Triac  que está sendo usado,  operar em 4 Quadrantes,  aumenta a possibilidade destes disparos acidentais.

      Mas observando as boas práticas de Projeto,  o princípio básico  está na figura 6  na página 4  do datasheet do MOC32021 (link: "TXIIS29589-1.pdf" ),  mostrada na figura a seguir:

(clique na figura para "zoom")

      Mas claro, este é só o princípio,  já que o ambiente de funcionamento e as características da Carga a ser comutada, irão determinar outras necessidades no design,  como mencionei aqui neste outro tópico:  "design com Triac"

      abrçs,

      Elcids

obrigado Sr elcids, estou trabalhando para solucionar o meu problema, até estou estudando os assuntos que mencionou, porem estou bem confuso sobre os disparos, notei que se tiver somente em bancada eu não tenho este problema.

segui o exemplo do datasheet, porem ao adicionar o capacitor como descrito acima a lâmpada não apaga mais, fica ligada.

devo usar controle pelo zero cross para disparo do triac 

minha ideia nesse momento é usar somente controle discreto (ON OFF)  ?

fiz uma confusão no post anterior,  por isso deletei e corrigi.

      Segue o post "corrigido":

olá Rasteiro.

      Pense.  Se vc replicou o circuito da Fairchild  e a Lâmpada  ficou ligada o tempo todo,  duas coisas podem ter ocorrido:  ou  o Triac entrou em curto,  ou  ele está disparando o tempo todo.   Vamos supor que o Triac está Ok.  Neste caso,  sobra a alternativa de que ele está disparando o tempo todo.   Vamos pensar em cima disto então, usando como referência o circuito na figura a seguir:

(clique na figura para "zoom")

      Veja que R1/C1  é apenas um "snuber",  para o caso de cargas indutivas.

      Já R2/C2  forma um Filtro  que além de filtrar spikes da rede elétrica AC (com alto dv/dt ),  também defasa a tensão aplicada ao MOC3021, e assim provém um meio  a mais  de controlar o momento do disparo do Triac. 

      E  R3/MOC  é o caminho de disparo do Triac,  um caminho "controlado",  e portanto o desejado.  Quanto menor R3,  maior a chance de disparo.  Assim aumentando R3, diminui-se a corrente de disparo.  No entanto note que embora C2 "segure" momentaneamente a tensão sobre R3 (o que funcionaria como uma "fonte instantânea" para a corrente de disparo),  o próprio R2 está em série com R3,  o que dificulta estabelecer um ponto de disparo e ao mesmo tempo a filtragem dos spikes.

      Logo Rasteiro,  é necessário que vc adeque a malha R2/C2/R3,  de acordo com as características do Triac, e também do MOC.  Com isso, enquanto a tensão sobre C2 não atinge o suficiente para fazer o MOC conduzir,  o Triac não é disparado,  e R2/C2  filtram spikes para impedir disparos acidentais devido a alto dv/dt.   E quando a tensão sobre C2 atinge o suficiente para o MOC  conduzir,  então fecha-se o caminho da corrente de disparo para o Gate do Triac, e então ocorre o disparo controlado e desejado.

      Conclusão:  vc não pode pegar um circuito "genérico" como aquele do datasheet da Fairchild  (um fabricante de excelência),  e simplesmente querer que ele funcione com qualquer outro circuito onde os componentes tem características específicas.  Aquele circuito no datasheet, é uma referência apenas,  que permite que vc desenvolva para seu caso real e específico.  Veja na figura anterior, onde salientei  em amarelo.

      Ah,  vc  ainda  não confirmou  qual  Triac está usando.

      abrçs

      Elcids

ah sim, Rasteiro, por favor, leia com cuidado e responda na medida do possível:

      Quando vc diz que funciona "em bancada",  o que quer dizer especificamente?  Nesta "condição de bancada", há algo diferente?

      Em cada uma dessas condições, a rede elétrica AC é diferente?

      Vc está usando uma Carga diferente em cada condição?

      E esta sua "Lâmpada" (a Carga), é de que tipo?

      Se a Rede AC for "a mesma", e a diferença é apenas que vc instala dentro do quadro de energia, então note que neste ponto é onde se concentram todas os spikes de tensão gerados em toda a instalação elétrica. Estes spikes, podem ser muito rápidos, durando alguns micro-segundos, mas podem ser o suficiente para disparar um Triac,  dependendo do modelo deste Triac.  Observe que o fio ligado ao Gate do Triac não deve ser levado a longas distâncias, ou seja,  ele deve ficar junto ao MOC que por sua vez deve ficar junto ao Triac (resultando que a ligação MOC/Triac tenha fios bem curtos).

      E note que na realidade o MOC é um Triac também, ou melhor, um circuito que contém um Triac acionado pelo LED do Opto. Ou seja, no final das contas temos um Triac (dentro do MOC) disparando um outro Triac (o da Carga ligada na Rede AC).  Então se alguma coisa no ambiente disparar "acidentalmente" o Triac dentro do MOC, isto irá também disparar o Triac principal.

      Atente que este tipo de circuito, depende muito das características do Triac e da Carga que vc está usando.

      E muito cuidado com as medições com Osciloscópio na Rede AC, pois se conectar de forma inadequada, poderá "queimar" o Osciloscópio, ainda mais se a sua Rede for 220V, onde há duas Fases. Muito cuidado!

      abrçs,

      Elcids

Boa noite Sr Elcilds Chagas, obrigado por compartilhar seu  conhecimento e ser extremamente atencioso e calmo com leigos como eu.

1° digo em bancada sem estar alocado no quadro elétrico, onde pretende deixar definitivamente.

2° Não tem nada de diferente, mais é isolada de qualquer interferencia.

3° a rede é a mesma que uso no quadro.

4° a rede eletrica é a mesma, até usei lampadas diferentes antes levar oa quadro e começar o pisca pisca, mais depois da primeira vez que me ocorreu o problema eu troquei os optos e o triac 3 vezes.

sempre que realizava o teste na bancada eu desligava tudo e levala até o quadro, e quando iniciava os teste finais começava a piscar, troquei ate as fontes de alimentação do uC para retirar duvidas.

5° notei mesmo que dentro do quadro onde esta me surgindo o problema, amanha é dia de sucata e irei buscar alguns componentes para fazer um novo circuito conforme as orientações que me passou. alis tem algum valor que posso comprar de resistores e capacitores para fazer teste, me aconselha algum tipo especifico ?

confimando, sim estou usando um bta136

Rasteiro,

      É um  BT136  ou BTA136 ????????

      E  vc  ainda não disse que tipo de Lâmpada está usando nos testes.

      Há uma grande quantidade de testes simples  que podem ser feitos para diagnosticar com precisão o que está ocorrendo no seu Sistema.  Mas apesar disto,  não entendo porque alguém tem o trabalho de montar uma placa  mas não executa testes assim, mesmo tendo conhecimentos para tal.

      Assim, vou fazer algo que não gosto de fazer:   suposições (quase "chutes", em virtude da falta de informações destes "testes simples").  Ou seja,  pulando a etapa de testes simples para diagnóstico  (e por favor, leia com atenção o texto que se segue).

      Para isto, altere o circuito com os valores mostrados na figura a seguir:

(clique na figura para "zoom")

      Observe que foi acrescentado o Resistor R4,  que está ligado entre o terminal Gate e o MT1 do Triac.   Mantenha R4  fisicamente o mais próximo possível do Triac,  e  se usar fios para esta ligação, que sejam curtos (no máximo 5 cm).

      Veja:  conforme vc diminui o valor de R4, se reduz a possibilidade de disparo do Triac.  Assim,  caso o Triac fique disparando mesmo quando o MOC  não está sendo acionado,  diminua o valor de R4.  Mas para o teste inicial,  comece com 1k (como na figura).  Vc pode fazer alguns experimentos ,  podendo R4 estar entre 100 Ohms e 4k7.

      Com os valores mostrados na figura anterior,  pode ocorrer  de o Triac não disparar em nenhuma condição, mesmo quando o MOC  é acionado.  Neste caso,  é preciso "corrigir" a malha R2/C2,  mas isto precisa ser feito com cuidado para evitar anular o efeito proporcionado por R4 (e também garantir que o Triac desligue quando a  corrente na Carga  ficar abaixo da Corrente de Holding  "IH").

      Atenção:  use Capacitores de pelo menos 400V,  e Resistores de pelo menos 1W.   E tenha certeza de que vc ligou o Triac com os terminais MT1 e MT2  conforme mostrado na figura (pois embora o BT136 funcione em 4 Quadrantes,  é preciso manter um "padrão" de testes).  E como eu disse num post anterior,  não use  Osciloscópios convencionais (alimentados pela rede AC) para fazer medições,  pois se usar de forma inadequada, poderá "queimar" o Instrumento.

      abrçs,

      Elcids

Boa noite Sr Elcids, é um BT136, errei na descrição.

olá Rasteiro.

      Vi hoje um tópico recente no "AAC" onde vc poderá acompanhar uma questão interessante.

      É este aqui:  "queimou Relé, Triac, etc"

      Mas vc deve estar logado  para ver os circuitos e as fotos. Ou seja, precisa se registrar no AAC (é gratuito).

      Mas caso não queira se registrar para ver o conteúdo,  eu tratei de imprimir o estágio atual do tópico em PDF, e o arquivo está aqui:   "Triac, Optocoupler burnt controling a 3 phase Motor.pdf"

      Mas acompanhe lá, pois os resultados parecem prometer que serão interessantes (não é meu caso, mas alguns acharão até divertido).

     abrçs,

     Elcids

RSS

© 2021   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço