Gostaria de discutir a melhor maneira que iniciar a construção de um amplificador caseiro a nível profissional,gostaria de saber se é indicado fazer um pré-amplificador e se poderia alimenta-lo com uma bateria menor do que a de um automóvel convencional...Alguma bateria onde eu possa recarregar diariamente e que seus uso ultrapasse as 8:30 de duração diárias....

Peço a ajuda de vocês para chegar a um melhor produto final....algo que também possa ser ligado a um mp3 convencional....

Por favor me ajudem!

Atenciosamente,abraççoss!

Exibições: 3701

Responder esta

Respostas a este tópico

Cara, eu desmontei o meu amp de guitarra e não descobri nada de impressionante...

Acho que fazer um amp é simples, o problema é saber o quanto amplificar (depende do aparelho que você vai colocar nele) e realmente o lance da voltarem é um grande problema. Acho que para o fim que você quer realmente terá de ser bat. de carro, mas se você fizer um esquema com baterias de lítio pesadas acho que você pode obter o resultado desejado... Pena que de bateria eu entendo pouquíssimo.

Leo,

os aplificadores nao tem nada me exitante mesmo...é mais fazer o esquema e soldar em uma placa bem feita...

Não é facilímo,mais para os amigos do Lab e uma boa discusao diminuem o "risco"...

Na verdade tem muitos sites que ensinam a montar o ampli e o pre-ampli,passo a passo.... O que eu queria é desenvolver o tema por aqui,afim de buscar melhores resultados para minha aplicação...

Em relação as baterias um amigo indicou uma soluçao diferente das convencionais....recarregável e mais leve....

Minha demanda se dirige a montar um ampli...ou pre-ampli ou ate mesmo os dois juntos,com uma entrada para mp3 convencional baterias recarregaveis e saida para auto falantes convencionais...o que tenho que saber sao ate quantos wats a lei me permite usar...

No mais os amplificadores convencionais nao sao um "misterio" tecnologico....

Nos poderimos discutir um modelo de construirmos o nosso,tambem toco guitarra e tenho o meu...acho que vou desmonta-lo para ver os circuitos... 
Voçe conheçe algum CL usado em amplificadores...?

Abraços!
Leonardo Yoshiaki Kamigauti disse:

Cara, eu desmontei o meu amp de guitarra e não descobri nada de impressionante...

Acho que fazer um amp é simples, o problema é saber o quanto amplificar (depende do aparelho que você vai colocar nele) e realmente o lance da voltarem é um grande problema. Acho que para o fim que você quer realmente terá de ser bat. de carro, mas se você fizer um esquema com baterias de lítio pesadas acho que você pode obter o resultado desejado... Pena que de bateria eu entendo pouquíssimo.



E ai Guilherme blz!!

Seu calculo é simples - Potencia x Ampere = horas de uso

Por exemplo: Um amplificador de 12V que tem 150W de potencia.

Uma bateria de automóvel de 12V de 100Amp.

150W / 12V = 12,5Amp/hora

12,5Amp/hora X 8 Horas = 100Amp

A bateria ira durar 8 horas com um consumo de 150W!

Claro que um amplificador tem seu consumo ligado a potencia dos alto-falantes e este valor pode mudar!!

Se eu estiver errado em alguma coisa, por favor, corrijam!!!

Respondendo ao amigo Rafael, que tal apronfudarmos a brincadeira dessa analise hein?

 

Vamos fazer uma analise dimensional da coisa...

 

quando falamos em potencia estamos analisando Trabalho por segundo ou seja Joule/ Segundo...

 

logo quando falamos em 150W estamos falando que em um segundo temos a dissipacao de 150 Watts em um segundo, logo  I = P/U =>  150 / 12 .'. 12,5 A/s ou seja isso sao amperes por segundo pois I = Q / dt  ou seja A = C/S.

 

No caso de uma bateria o correto seria falarmos em Energia e não potência, pois Energia sim medimos em horas pois:

 

E[w] = P * T[h], essa sim da a ideia de algo acumulado que variando a potencia (pela corrente) temos a estimativa de quantas horas uma bateria pode aguentar uma carga de X Watts.

 

Mas partindo do primeiro cálculo, veja temos : 12,5A/s.

para a bateria temos: 100A/h, multiplicando a bagaça por 3600 temos 360000A/s 

 

logo basta termos uma regra de tres simples que chegaremos em: 8 horas.

 

Veja não estou dizendo que a sua analise esta errada, mas que o conceito é um pouquinho mais profundo que isso, ok.

 

Duvidas estou a disposicao.

 

Abs.

Amigos,

Já tendo feito MUUITOS amplificadores valvulados para guitarra, acho que também temos uma abordagem prática a ser considerada, apesar de eu gostar muito de teoria...

 

Primeira Consideração do Pacman: O consumo de qualquer amplificador, seja ele transistorizado ou valvulado não é linear ao longo do tempo, em geral temos capacitores grandes no PSU (Power Supply Unit ou Unidade de Suprimento de Potência, também conhecido vulgarmente como fonte) para suprir estas demandas de energia. Por exemplo quando entram graves com um volume razoável. Picos graves tendem a consumir mais que picos agudos;

 

Segunda Consideração do Pacman: Existem várias configurações para estágios de saída, que é quem efetivamente vai consumir maior parte da energia das baterias. Amplificadores podem ter configurações Single Ended, Push Pull, etc... óbviamente push pull você consegue maiores potências, no entanto maior consumo e maior dificuldade em calibrar todo o conjunto da etapa final;

 

Terceira Consideração do Pacman: Estéreo. Se você quer amplificar em estéreo, imagine sua etapa de 150W X 2, pois são dois canais, em outras palavras, o calculo que vocês estão fazendo em cima é somente para um canal, portanto o consumo teórico será no mínimo o dobro do calculado acima. Questão prática e que poucas pessoas levam em consideração quando montam Amps com maior fidelidade;

 

Quarta Consideração do Pacman: Fidelidade. Naturalmente se você quer amplificar sinais com abrangência maior de freqüência, certamente a sua referencia jamais será um amplificador de guitarra, que é projetado para amplificar somente uma parte das freqüências audíveis, distorcendo MUITO (bota muito!) para freqüências acima de 4 ou 6 Khz. Na verdade estes detalhes estão no segundo estágio do amplificador (o Tone Stack) que é onde você equaliza o som antes da etapa de saida (Single Ended) ou da etapa inversora (Push Pull).

 

Quinta Consideração do Pacman: Baterias de Carga rápida, e maior persistência a não linearidade do consumo (por exemplo LiIon, LiPol etc) ... prepare o bolso... tú vai gastar em média R$ 50,00 para cada 300mAh, a relação é mais ou menos essa.

 

Espero ter ajudado e não jogado um balde de água fria ...

 

Eu pessoalmente gosto muito do LM3886, um amplificador muito interessante para este seu tipo de aplicação, no entanto 150W acho um exagero absurdo ... é para ouvir no carro? Por isso ser portátil? com LM 3886 é possível conseguir 60W por canal com muita facilidade sem precisar montar configurações PUSH PULL, no entanto para conseguir isso você vai precisar de um inversor de 12 para 35 Volts em média, que é tensão de operação deste CI ... e dá-lhe mais etapa consumindo energia da tua bateria.

O interessante deste CI é que ele exige muito pouco em termos de condicionamento do sinal aplicado. Porcamente se você jogar a saída do teu MP3 nele você já vai conseguir resultados supreendentes em termos de potencia X distorção do sinal de saída.

 

E por último a consideração mais importante que eu aprendi ao longo da vida.

 

Sexta Consideração do Pacman: Infelizmente quando falamos de áudio, falamos de investimento. Não existe amplificador bom e barato... isso é lenda!  Se você quer qualidade vai ter que pagar por ela. E geralmente amplificadores DIY custam em média 3 vezes o preço do mesmo amplificador feito comercialmente, a não ser que você tenha experiência e já tenha o costume e as manhas de montar tal amplificador. Mas a regra acima é verdadeira.

 

Por fim. Se quiserem falar sobre amplificadores valvulados pra guitarra, estou à disposição... são minha paixão desde a infância.

 

Enjoy!

 

Pacman! Guitarrista nas horas vagas procurando banda pra tocar! Vai rolar uma banda LdG?

Sobre a banda, só to esperando o marcelo me mandar os arquivos do avatar do bio lab ou do lab de g dele para eu fazer o grupo de música do lab...

(desmontei minha guita lá, e to inspirado por causa disso)

Realmente dito e feito que o investimento causa retorno em termos de som, mas isso varia de aplicação, pois para fazer um carro de propagandas (é isso que o projeto deu a entender até agora) não é necessária uma boa qualidade de som, só volume mesmo e uma boa dicção do locutor (especialmente para isso)...

Sim, concordo com todas as considerações, mas vejamos a aplicação do nosso amigo, o que ele quer é construirs uma aplicação profissional mas com cara DIY estou certo?

 

Pela simplicidade, reforço a consideração do Gain clone (LM3886), como o PACMAN disse a preocupação vai girar em torno do pré-amp onde podemos "mexer" bastante com sinal de áudio e suas componentes para obtenção de melhor fidelidade. Ja que o estágio de saida estará pronto.

 

Claro que para todo amplificador, com algumas boas praticas de montagem ja conseguimos uma relação potência x THD muito boa para a maioria das aplicações, ai vão elas:

 

- Fonte bem filtrada, capacitores de desacoplamento bem proximos a alimentação dos CIs e estagios de potência.

- Lay out da placa, sempre ter muito cuidado com esse aqui, evitar malhas de terra que cubram toda a placa, para evitar o que chamamos de loop de terra...separar terra do sinal de audio do terra de potência;

- Compensação termica em todos os estagios, isso minimiza distorções que podem aprecer por evetuais fugas de corrente devido a aquecimento.

- Não menos importante, casamento de impedância de todos os estagios.

 

E no mais divirta-se,

 

Qualquer duvida estou a disposição ok?

 

Abs e Feliz Pascoa.

 

 

Na minha opniao a qualidade do som vem em primeiro lugar!

Eu nao gostaria de veincular minha marca com algo "ganbiarra",e penso em algo bom para meus clientes...

O foco do meu negocio é sustentabilidade,por isso bicicletas....emfim

A qualidade é mais que essencial na minha maneira de ver o negocio....emfim

Mas Leo como vc disse o volume é uma questão imperativa em meu case,mais tenho que verificar a lei municipal que restringe uma quantidade de Wats para tal aplicação...Mas nao quero fazer uma placa de Ampli ligada a auto falantes que ultrapasse minha demanda e não terão utilidade em meu projeto alem do mais,o consumo de energia seria maior....um problema que quero discutir aqui com os amigos.......

Quero um produto final relativamente de acordo com minha demanda,onde eu nao tenha surpresas inesperadas...

alguem conheçe algum CI para amplificadores?eu poderia dar um olhada e poderíamos discutir por aqui....

Abraços!

Leonardo Yoshiaki Kamigauti disse:

Sobre a banda, só to esperando o marcelo me mandar os arquivos do avatar do bio lab ou do lab de g dele para eu fazer o grupo de música do lab...

(desmontei minha guita lá, e to inspirado por causa disso)

Realmente dito e feito que o investimento causa retorno em termos de som, mas isso varia de aplicação, pois para fazer um carro de propagandas (é isso que o projeto deu a entender até agora) não é necessária uma boa qualidade de som, só volume mesmo e uma boa dicção do locutor (especialmente para isso)...

hum, então acho que tenho uma dica: Não se esqueça do Efeito Doppler!

Na minha opinião ele e a péssima acústica junto com a barulheira da rua são os piores distorcedores de som...

Quando a parte eletrônica for resolvida, acho que ainda restará o Efeito Doppler...

Tenho uma sugestão para resolver o ED e o consumo de energia:

O som só é ligado quando a bicicleta está parada, tipo no sinal ou estacionada, dai o ED não ocorre e o consumo de energia será melhor...

Mas, isso só seria efetivo em grandes cidades e em áreas mais congestionadas...

Esses são os palpites aeletrônicos :)

PacMan,

em relação as baterias,elas são recarregáveis?

se sim quantas você estima que eu teria que usar para em media 8:30 dias em torno de 6 dias por semana?

quanto seria a vida util destas baterias sobre tais condições?

Cara muita teoria da hora....

Você poderia fazer um pra mim cara...... 

Abraços!


Alexandre Pereira (PACMAN) disse:

Amigos,

Já tendo feito MUUITOS amplificadores valvulados para guitarra, acho que também temos uma abordagem prática a ser considerada, apesar de eu gostar muito de teoria...

 

Primeira Consideração do Pacman: O consumo de qualquer amplificador, seja ele transistorizado ou valvulado não é linear ao longo do tempo, em geral temos capacitores grandes no PSU (Power Supply Unit ou Unidade de Suprimento de Potência, também conhecido vulgarmente como fonte) para suprir estas demandas de energia. Por exemplo quando entram graves com um volume razoável. Picos graves tendem a consumir mais que picos agudos;

 

Segunda Consideração do Pacman: Existem várias configurações para estágios de saída, que é quem efetivamente vai consumir maior parte da energia das baterias. Amplificadores podem ter configurações Single Ended, Push Pull, etc... óbviamente push pull você consegue maiores potências, no entanto maior consumo e maior dificuldade em calibrar todo o conjunto da etapa final;

 

Terceira Consideração do Pacman: Estéreo. Se você quer amplificar em estéreo, imagine sua etapa de 150W X 2, pois são dois canais, em outras palavras, o calculo que vocês estão fazendo em cima é somente para um canal, portanto o consumo teórico será no mínimo o dobro do calculado acima. Questão prática e que poucas pessoas levam em consideração quando montam Amps com maior fidelidade;

 

Quarta Consideração do Pacman: Fidelidade. Naturalmente se você quer amplificar sinais com abrangência maior de freqüência, certamente a sua referencia jamais será um amplificador de guitarra, que é projetado para amplificar somente uma parte das freqüências audíveis, distorcendo MUITO (bota muito!) para freqüências acima de 4 ou 6 Khz. Na verdade estes detalhes estão no segundo estágio do amplificador (o Tone Stack) que é onde você equaliza o som antes da etapa de saida (Single Ended) ou da etapa inversora (Push Pull).

 

Quinta Consideração do Pacman: Baterias de Carga rápida, e maior persistência a não linearidade do consumo (por exemplo LiIon, LiPol etc) ... prepare o bolso... tú vai gastar em média R$ 50,00 para cada 300mAh, a relação é mais ou menos essa.

 

Espero ter ajudado e não jogado um balde de água fria ...

 

Eu pessoalmente gosto muito do LM3886, um amplificador muito interessante para este seu tipo de aplicação, no entanto 150W acho um exagero absurdo ... é para ouvir no carro? Por isso ser portátil? com LM 3886 é possível conseguir 60W por canal com muita facilidade sem precisar montar configurações PUSH PULL, no entanto para conseguir isso você vai precisar de um inversor de 12 para 35 Volts em média, que é tensão de operação deste CI ... e dá-lhe mais etapa consumindo energia da tua bateria.

O interessante deste CI é que ele exige muito pouco em termos de condicionamento do sinal aplicado. Porcamente se você jogar a saída do teu MP3 nele você já vai conseguir resultados supreendentes em termos de potencia X distorção do sinal de saída.

 

E por último a consideração mais importante que eu aprendi ao longo da vida.

 

Sexta Consideração do Pacman: Infelizmente quando falamos de áudio, falamos de investimento. Não existe amplificador bom e barato... isso é lenda!  Se você quer qualidade vai ter que pagar por ela. E geralmente amplificadores DIY custam em média 3 vezes o preço do mesmo amplificador feito comercialmente, a não ser que você tenha experiência e já tenha o costume e as manhas de montar tal amplificador. Mas a regra acima é verdadeira.

 

Por fim. Se quiserem falar sobre amplificadores valvulados pra guitarra, estou à disposição... são minha paixão desde a infância.

 

Enjoy!

 

Pacman! Guitarrista nas horas vagas procurando banda pra tocar! Vai rolar uma banda LdG?

Leo,
acho que a bicicleta teria uma ação de trabalho de possivelmente 45% em andamento(não parada) o que isso poderia atrapalhar no efeito Doppler?
O que seria o efeito Doppler?
Cara,acho que vou ter que pagar para alguns garagistas fazer este "trampo" pra mim...estou quase abrindo uma licitação no forun,hsuahsuahsuahsua...
Meu tempo esta super curto....Quem puder me ajudar.....
Alguém sabe quanto custaria este ampli...?
Abraços

Fiz uma pesquisa no tempo do projeto da minha "Bicicleta elétrica" (que esta ainda no papel) e constatei que a vida útil de uma bateria de chumbo cai bastante se consumido sua carga abaixo de 20% muitas vezes!!

Considere comprar "baterias estacionarias" que resistem mais do que as de automóvel a um consumo total de carga!!

RSS

© 2021   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço