Eu sou um entusiasta por meios alternativos de transporte, já tive uma época de hpv(human powered vehicles: quadriciclos e triciclos a pedal), e atualmente ando muito interessado em automóveis elétricos.

Mas, compensa ter um? Se o motivo da sua escolha for financeira, a resposta é um estrondoso “não”.

Vejamos, um modelo híbrido (motor elétrico + motor 2.5 a combustão) do Fusion 2012 custa, no Brasil, R$ 133.900,00. O mesmo Fusion, com motor V6 e todos os opcionais custa 107.360,00. São R$ 26540, e a versão mais barata ainda tem recursos melhores, como tração integral.(Valores de dezembro de 2012)

Pensando em automóveis apenas elétricos, temos o problema da autonomia: eles costumam ter autonomia na casa dos 100 km, o que é mais que suficiente pra transito urbano, mas inviável pra viagens. Você não pode parar a cada 95km pra esperar 4 horas de recarga, não é mesmo?

Alem do mais, eles costumam ser cerca de R$ 30.000 mais caros que um modelo semelhante a combustão.

Uma conversão de um automóvel simples pode custar cerca de R$ 15.000,00 (sendo muito conservador na escolha das peças)

Diante desses fatos, você pode dizer “Ah, mas esse gasto a mais você recupera pelo valor do combustivel”. Sim... Mas perceba que você vai ter que rodar muito pra recuperar o investimento, veja um modelo da “vida real”, eu:

No periodo de 1 ano eu rodei cerca de 5400 km ao todo(sim, eu sou um “pouco rodante”). Vou considerar o meu consumo de combustivel como sendo o consumo quando eu piso sem dó no eu carro, cerca de 6,5 km/l(só pra tentar favorecer o custo do elétrico). O custo do combustível é cerca de R$ 2,96.

Fazendo essas contas, em 1 ano eu gastei R$ 2,460,00 de combustivel. Pra chegar perto dos R$ 15.000 da conversão mais simples, eu teria que rodar quase 7 vezes mais, cerca de 35.000 km, 7 anos, no meu ritmo. Isso se a gente considerar custo zero de energia elétrica, o que é mentira.

A energia elétrica que sai da nossa tomada, tem custo. Claro que sai extremamente mais barato que o custo da gasolina, estima-se que numa conversão basica, o custo por quilometro é inferior a 4 centavos.

Há outros custos envolvidos, as baterias tem ciclo de vida de cerca de 3 anos, dependendo a qualidade das mesmas. O que faz com que se gaste com um conjunto novo de baterias(que pode variar de R$ 3.000 a R$ 20.000 dependendo da quantidade e qualidade).

No caso do Fusion hibrido, se você andar trechos curtos abaixo de 75 km/h, você utilizara exclusivamente o motor elétrico. A bateria especial desse modelo tem garantia de 8 anos. Só que, você vai usar o motor a combustão também, o retorno da diferença de dinheiro investido nesse caso extrapolaria os 300.000 km rodados!

Então, financeiramente só compensa ter um automóvel elétrico hoje se você for um grande “rodador” e não pretende trocar de carro tão cedo, pra recuperar o valor investido em forma de economia com combustível. Ou seja, não compensa.

Agora, o outro lado da moeda: se você é um entusiasta.
Bom, deve ser extremamente prazeroso converter um VW refrigerado a ar(Fusca, Brasília, Variant, Kombi) pra operar com motor elétrico. Uma conversão boa, incluindo ar condicionado custará em média R$ 18.000,00(se você achar todas as peças no Brasil), mais o custo da compra do carro e da reforma que você certamente vai fazer pra deixar seu carro confortável e bonito(acionadores de vidros elétricos, travas especiais, um trato na tapeçaria, console, painel, instalação de ar-condicionado, mudanças estéticas modernizadoras do visual externo do carro), você deve gastar ao todo uns R$ 30.000,00.

O preço de um carro tosco popular. Olhando por esse lado, considerando que você é uma pessoa que gosta de carros, entre um Uno, Palio, Ka ou qualquer coisa desse tipo, e uma modificação bacana num carro antigo, você preferirá a segunda opção. E uma motorização elétrica adiciona um grau de excentricidade único, além de, pra uso urbano, tornar o carro mais ágil(motores eletricos costumam ter mais arrancada, por conta do alto torque em qualquer regime de rotação).

Então, compensa ou não?



Exibições: 1656

Comentar

Você precisa ser um membro de Laboratorio de Garagem (arduino, eletrônica, robotica, hacking) para adicionar comentários!

Entrar em Laboratorio de Garagem (arduino, eletrônica, robotica, hacking)

Comentário de Wagner Felix Pereira de Souza em 8 março 2013 às 13:13

Claro que conta.
A questão é que se não for viável economicamente, fica difícil. Querendo ou não o mundo é movido de acordo com o dinheiro. Imagina, pagar R$ 30.000 a mais num veiculo por ele ser elétrico? Sem o retorno financeiro a curto ou médio prazo?

O ideal seria que o carro elétrico tivesse mais respaldo governamental, menos impostos, ipva nulo ou diferenciado(tem apenas em alguns estados), mas não é de interesse do governo, pois eliminaria parte da clientela da Petrobras :P.

Eu mesmo gostaria muito de ter um carro elétrico, estudei muito sobre conversões, como importar um kit de conversão dos EUA e tudo mais, só que, é grana pacas e sempre tenho outras prioridades.

Comentário de Projetos de Garagem em 8 março 2013 às 11:45

Só tem mais um pequeno ponto positivo que acredito que quase ninguém leva em conta, o meio ambiente. Não conta como favorável não?

Comentário de Jaciel Ferreira em 6 março 2013 às 12:00

Cara, Fazer um gerador de HHO não é complicado.

O segredo é usar agua destilada e algumas celulas de Inox. 

Comentário de Wagner Felix Pereira de Souza em 6 março 2013 às 11:33

O problema de usar hidrogenio como "combustível" é que voce permanece "refem" de postos de gasolina... Hoje em dia "fazer" eletricidade é facil pra qualquer um que tenha um punhado de fios de cobre e imas, mas  "fazer" HHO é mais complicado.

Comentário de Jaciel Ferreira em 6 março 2013 às 11:22

Voce pode analisar o sistema de HHO para render mais gasolina.

Veja tambem a degradação do motor e os riscos para ver se vale mesmo a pena. 

Destaques

Registre-se no
Lab de Garagem
Clicando aqui

Convide um
amigo para fazer
parte

curso gratis de arduino

© 2020   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço