Por que não construir um aquario , não um decorativo , mas um com estabilidade completa do ciclo do nitrogenio, simulando um ecosistema completo , onde não se limpa o aquario semanalmente , como nos decorativos , mas o sistema é equilibrado e auto suficiente , dispensando manutenção.

 

Os dejetos dos peixes são convertidos por colonias de bacterias aerobicas para amonia , que por sua vez é convertida por outra colonia de bacterias para nitratos , que fertilizam a agua que nutre plantas aquaticas , que além de absorvem o CO2 da agua e liberam O2 e alimento para os peixes.

 

Para controlar o estado do sistema , deve-se monitorar o pH , Amonia , nitrito , nitrato , duzera da agua,

até que entre em equilibrio. Depois uma pequena manutenção mensal é suficiente ( basicamente limpeza dos filtros etc)

 

Posso colaborar com um dos meus aquarios de 200 litros que atualmente esta ocioso.

Aquarios menores que 200 l são dificeis de manter pois devido ao seu pouco volume , as alterações

biologicas não ocorrem lentamente , a tempo de serem corrigidas , quando se nota o problema muitas vezes já é tarde para recuperar o equilibrio do aquario.

 

Abração,

Enio

Exibições: 1327

Respostas a este tópico

Fantástica essa ideia! 200 litros é o ideal para isso. Eu tenho experiência com aquarismo marinho porque mantive 2 aquários por alguns anos. 

O desafio proposto acho que é o mais bacana. Tentar alcançar a "autonomia" do sistema, ele mesmo se equilibrar. Alguns organismos vão ajudar muito, como paguros, camarões, ofiúros, e demais "limpadores".

O esquema é não encher de peixes, e monitorar os parâmetros muito bem.

 

Ênio,

Como fazemos para colocar o aquário lá? Vamos precisar construir uma base também. Você pode passar as medidas extas? Se não tiver a base, vamos construir uma aqui no lab para o seu aqua.

 

Quem tiver interesse, tem uma outra comunidade brasileira especializada em aquarismo, que tem muuuuuita informação, e o pessoal é muito prestativo. Já mandei convites para fazer uma parceria, mas não tive resposta. O endereço é www.reefcorner.org Coloquei lá um post também, em http://www.reefcorner.org/forum/topic.asp?TOPIC_ID=127524&S...

 

Abraço!!

Marcelo ,

o aquario tem 513mm de altura 405mm de profundidade e 1000 mm de largura , mais uma aba de 80 mm ,

totalizando 1080mm de largura.

Vá pensando numa base , porque aqui ele esta apoiado numa base de alvenaria.

Acho melhor esperar até eu poder leva-lo até ai para medir com mais precisão antes de fazer a base.

 

Utilizei este aquário para reprodução de Acará Bandeira,na primeira tentativa consegui uns 30 alevinos a partir de um casal, mas somente 5 chegaram a fase adulta,depois, consegui 300 alevinos , mas só chegaram à fase adulta uns 80.

A alimentação dos alevinos recem eclodidos era feita com artemias marinhas também recem eclodidas. Se as artemias estiverem com um ou dois dias , elas já estarão muito grandes , e os alevinos não conseguem come-las inteiras , e morrem de fome. Foi realmente dificil conseguir sincronizar a eclosão dos ovos dos acarás e ter uma quantidade boa de artemias recem eclodidas para vingar uma boa safra de acarás.Vou ver se acho umas fotos dos bichinos.

 

Abração,

Enio.

Olá Enio

 

Eu estou desenvolvendo um projeto de aquaponia doméstica. Coloquei lá no forum geral, neste link: http://labdegaragem.com/forum/topics/aquaponia

 

O legal da aquaponia é que dá pra produzir alimentos, mesmo em escala doméstica!

 

Abraço,

Daniel

Daniel , por feliz coincidência eu tenho um aquário (200L) que está sem trocar água já há 6 anos !!

Só reponho a água evaporada para manter o nível. Há neste aquário plantas aquáticas que absorvem

os nitratos gerados pelas bacterias que processam a amonia e os demais excrementos dos peixes.

Já tive também uma horta hidropônica por muitos anos ( mas os nutrientes eram todos sais quimicamente puros ). O interessante é que a horta era  toda em tubos de pvc fixados na parede , não utilizando espaço no chão. Um circuito eletrônico determinava a hora de umedecer as raízes baseado na taxa de evaporação medida, raizes que ficavam suspensas no ar dentro dos tubos.O circuito acionava uma bomba , que inundava os tubos por alguns instantes e depois parava , retornando a solução hidropônica para um tanque subterrâneo (200L) , deixando as raizes ensopadas.

Funcionou por muitos anos , e cheguei a colher alface , escarola , tomate ( record c/ 1 tomate de 300g !) e manjericão , muuuito manjericão. Infelizmente na reforma o Véio decidiu parar com a brincadeira e quebrou tudo. Já tive a ideia de usar a água do meu aquário para alimentar as plantas mas não cheguei a fazer nada ainda.

Abração.

Enio.

Muito interessante Enio!

 

Uma curiosidade, como você fez para medir a taxa de evaporação?

 

Eu estou trabalhando voluntariamente em uma horta hidropônica aqui em Porto Alegre, mas lá não tem nada de automação. Quem sabe eu comece a propor umas idéias, rsrs.

 

A aquaponia funciona, existem sistemas já operando. Inclusive é possível consumir os peixes também, mas os meus são de estimação, rs. Aqui vou tentar alface, rúcula, couve, mostarda, chicória e manjericão. Quem sabe no futuro eu tente utilizar as paredes também, hehe.

 

Abraço!

Daniel

Daniel,

na verdade usei uma pequena cuba  , com aletas de material poroso (na época usei tiras de amianto) ,que evaporavam a água da cubinha rapidamente , monitorando eletronicamente com eletrodos o nivel da cuba. A mesma bomba que inundava os tubos de raízes alimentava a cuba enchendo-a até o topo.

Os eletrodos eram regulados de modo que quando as raízes estivessem quase para secar , a água na cubinha estava também liberando um dos eletrodos , que acionava novamente a bomba.

Em dias quentes de verão o tempo entre regas podia chegar a 15 minutos ou menos , em dias nublados , aumentava para horas , e em dias chuvosos regava 1 a 2 vezes ao dia no maximo.

As plantas gostaram  deste esquema , ficou ótimo. Dá muito pouca manutenção , só precisa retirar o sal acumulado na cubinha a cada troca da solução hidroponica , e o consumo de energia para tocar a bomba fica reduzido ao mínimo necessário.

Abração.

Enio.

Legal, então era uma espécie de analisar virtual da taxa de evaporação. No meu sistema aqui a princípio a irrigação está contínua, já que a vermiculita (meio de crescimento) é bastante porosa e além disso a água deve sempre estar oxigenada de qualquer forma (para os peixes). Mas se eu tiver problemas com as raízes quem sabe vou partir para um esquema parecido com o seu.

 

Pena que o seu foi desativado... eu vejo a agricultura urbana hoje dia como uma das coisas mais sustentáveis que se pode fazer.

Amigos,

 

esta idéia é fantástica. Está parada? Então vou colocar para andar novamente. Espero que vocês me ajudem. Vou criar um post só para meu projeto por questão de organização. Mas não desanimem não.

 

Até logo

Sidney,

diferentemente dos outros projetos , mecânicos ou eletrônicos , infelizmente , os projetos biologicos não podem esperar termos um tempinho sobrando para cuidar deles.

Ou vc cuida deles na hora certa ou eles morrem.

Para tocar o projeto é preciso ter algumas horas semanais sobrando , e cumprir rigorosamente os horarios ,para não deixar o aquario morrer , principalmente no inicio , durante o período de estabilização , depois fica mais fácil.

Eu , ultimamente estou com a agenda bem cheia , e sempre entrando novas atribuições , por isso , estou adiando este projeto para quando as coisas estiverem mais calmas , e eu possa me dedicar ao mesmo.

Já comprei até os materiais necessários (quase tudo) mas estão mofando aqui no sótão.

Mesmo assim , toda ajuda é benvinda.

Abração.

Enio.

Enio,

sei como é isso. A vida está muito corrida mesmo.

Mas quando tiver um tempinho, poderia listar os seus materiais? Assim vou me preparar para colocar o meu no mesmo nível que o seu.

Dai vou te informando meu progresso.

até

RSS

Destaques

Registre-se no
Lab de Garagem
Clicando aqui

Convide um
amigo para fazer
parte

curso gratis de arduino

© 2018   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço