Estou desenvolvendo uma apostila sobre Programação para Android utilizando Linguagem Basic, gostaria de saber se este material interessa ao pessoal do grupo. Terá aproximadamente 300 páginas e pretendo vende-lo. Interessados façam contato.

Exibições: 2450

Anexos

Respostas a este tópico

Caro Euclides, nunca mexi com o Android. Tenho muito interesse mas não tenho conseguido tempo. Uma linguagem que me despertou muito interesse e que ja li um pouco é a Python. Será que Basic ainda desperta interesse? Boa sorte.

Gustavo Murta

Linguagens de computador EMO não são como marcas de roupas, não é uma questão de moda. Se vc. for comparar tem que ser por apelo técnico.

O que diferencia umas das outras é o quanto nós temos que escrever para obter resultados, aí é que começa a grande diferenciação entre as linguagens. O Basic por ser fácil de aprender e ter um histórico de alta aceitação para obtenção de resultados com menor esforço é uma opção muito válida; Aí o Basic tem sim, a meu ver muito interesse. 

Outro apelo de interesse é sua sintaxe limpa e clara, além óbvio de;se existir uma IDE (que é o caso); que ajude o programador a achar facilmente os pontos em que tem que dar manutenção (escrever programas não é uma tarefa top-down, é muito diferente de escrever "poesia" ou "prosa"...) e/ou inserir novas funcionalidades, se torna uma ferramenta de produtividade (imagine, que existem pessoas que usam "só" editores de textos para fazerem programas de uso extenso de/com recursos gráficos. Isso é normal com linguagens "mais modernas"..ou "free"...fica muito difícil ser produtivo assim. 

Trabalho com desenvolvimento a mais de 20 anos e venho ouvindo sobre a "morte" e "vida" de linguagens uma após a outra. O que sei é que linguagens "modernas", "poderosas", "competentes"...etc...perderam e continuam a perder para muitas "linguagenzinhas" que já deveriam estar "mortas" pelo que dizem estes autores de "Obtuários"...O maior exemplo: O COBOL "continua lindo" (nunca programei, mas conheço a sintaxe), o DATAFLEX (Muito superior a ele tecnicamente e "vivo" até hoje...e que eu já usei...mas...) vem perdendo terreno para o C#, que como linguagem "derruba" o DATAFLEX mas nunca vai derrubar o COBOL em suas "competencias"...estranho e gozado, para não dizer outra coisa...joquempô das linguagens????? Uma são melhores que as outras, as mais novas  conseguem ser melhores que as intermediárias, mas perdem para as mais "velhas"??? Estamos falando de pessoas ou linguagens???

Outro fator é a "sindrome do Assembler". Ou seja: poderozíssimo, rápido, e..."cada macaco no seu galho"... difícil de aprender e limitada dentro do tamanho que se deseje fazer as aplicações: Não é "realizável" fazer um sistema para acessar banco de dados utilizando uma linguagem que "não é produtiva", por isso surgiram as outras linguagens: COBOL, BASIC, FORTRAN, PASCAL, etc...para "pular" esta lacuna...e sempre vão aparecer "o milagre do dia", mas que só seduzem nas universidades e depois tem "o mercado"...

Creio eu que se você está querendo usar um Android para coletar dados, receber conexões por RS-232, USB, Arduino, estas coisas, etc...é necessário trabalhar em um nível muito baixo (isso não é um qualitativo, é como se denominam certas linguagens, se você não tem experiência com estas denominações, isso pode soar estranho) e aí sim, justifica usar uma linguagem correspondente (Assembler, C, C++, etc...), por outro lado, se vc. precisa fazer aplicativos para/com alto "contato" humano (sim, somos lerdos e erramos demais...rsrsrssss...) o Assembler (ou as outras) não se justifica. É melhor uma linguagem mais acessível e fácil de fazer rotinas de correção de entrada de dados (contendo erros). É possível encontrar na web diversas discussões sobre a utilidade de umas e outras linguagens, como uso muito banco de dados acho que Basic (Pascal, ou outras de facilidades idênticas...) são ferramentas mais adequadas para tratar dados acessáveis por humanos. Mas tudo isso é discutível, infelizmente grande parte das pessoas hoje são educadas nas universidades, e aprendem a programar a linguagem "do professor", o ramo acadêmico (que não tem nada a ver com o mercado) é quem "faz os profissionais" e aí começa a haver uma confusão danada...gente querendo usar HTML para coleta de dados, Asembler para banco de dados, mais por "bater o martelo na roda do trem" que por experiência do que seja mais adequado tecnicamente para cada caso ou "ligado ao ramo de negócio".

Boa sorte para vc. tambem.

Caro Euclides, apesar de não trabalhar com programação venho acompanhando a evolução das linguagens a muito tempo - trabalho a 32 anos com manutenção de computadores.

O meu interesse pelo Python é a facilidade de programação (tem sido usado em escolas para ensino de programação).

Tem muito conteudo disponivel na internet, rotinas, programas, livros, etc.

Os programas podem ser interpretados ou compilados. Tem uma boa interface com linguagem C, já que foi criada com ela.

A grande vantagem é sobre a portabilidade em vários sistemas operacionais, inclusive em smartphones e tablets.

E o que eu acho legal é que ja existem programas profissionais gerados com essa linguagem. Me lembro de programas com Basic somente na inicio da era PC.

Abraços

Gustavo Murta

Até onde achei o Python é interpretado, portanto deve rodar com os fontes abertos, minha linha de trabalho é sobre desenvolvimento para a área comercial. Tenho inclusive já desenvolvido um sistema para pedidos para distribuidoras usando o Embedded Visual Basic (VB cujo resultado compilado roda dentro de um Pocket-PC - Sistema WindowsCE). A minha proposta é continuar com este sistema só que convertendo (onde é necessário) o Basic de uma plataforma para outra (EVB/WinCE->B4A/Android). Como dito por mim e confirmado pelo que vc. escreveu; Python está dentro daquelas linguagens usadas para ensinar em escolas (como o Basic foi um dia). Mas não se engane: O Basic original, usado para ensinar nas escolas está muito lá atrás comparado com que o(s) Basic(s) de hoje podem fazer. O primeiro passo para o próprio Basic deixar de ser "acadêmico" foi com o surgimento justamente da possibilidade de compilar o código fonte, com isso ganhando velocidade e proteção do investimento feito no desenvolvimento (obscuração dos códigos fontes). Isto pode vir a ocorrer com o Python, falta pouco, ela é uma linguagem que tem tudo o que o Basic tem.

Existem muitas linguagens hoje que estão sendo usadas de forma extensa pela comunidade mas é perceptível que se tratam de "Scripts" que são portáveis, não por sí mesmos, mas mais por causa do interpretador (este sim, portável dentro de certo contexto). Outras linguagens (o resultado) não passam de camadas que fazem chamadas a outras camadas ou bibliotecas que ajudam a se enquadrarem dentro de um sistema operacional (Mono por exemplo)...e por aí vai.

Para o desenvolvimento profissional, não se pode ficar preso a experiências ou trabalhos de TCC´s que evoluiram para alguma ferramenta. A ferramenta tem que se adequar exatamente a necessidade do cliente e seu desempenho tem que ser o máximo possível (para que lá na frente vc. não "passe carão" porque outra ferramenta "melhor orientada" faz o que a sua não faz).

As vezes vemos Linguagens, Bibliotecas, IDE´s que facilitam no início e isso nos seduz, mas em seguida pode surgir necessidades para a qual ela não foi planejada e aí ela se torna inútil (de acordo com o aprendizado e investimento de tempo e dinheiro para adquiri-la) e incapaz de evoluir.

Oras, até na natureza temos exemplos de "Dinosauros" que evoluiram e estão aí até hoje, sobrevivendo muito alem de outras criaturas que vieram eras depois: O Crocodilo, o tubarão, o Bagre...etc...existiam já na época dos Tiranosaurus, evoluiram pouco, mas continuam dando trabalho pros "extintores"/predadores. E vão continuar por muito tempo...

Com as linguagens ocorre a mesma coisa: O Basic, COBOL, FORTRAN, PASCAL, CLIPPER???!!! etc...comparados com as outras linguagens até que evoluiram pouco, mas são responsáveis por milhares de aplicações que ninguem quer mexer, pois não há "coragem" que baste para correr o risco de não dar certo. Pois as novas linguagens até hoje não deram estas seguranças todas para justificar isso.

Casos estranhos se delimitam no horizonte. veja: o que vai ocorrer quando a ABAP (linguagem do SAP, um dos maiores sucessos de implementação de sistemas administrativos, comerciais e produtivos do mundo, usado em gigantescas estruturas ligados a grandes conglomerados de diversos tipos de indústrias) deixar de ser "atual" ???? Para mim o tempo que esta linguagem existe está levando-a para o rol das linguagens que estão tecnicamente em extinção. Perceba que a origem da linguagem é a necessidade que os antigos programadores que fizeram a primeira versão do SAP (feito em COBOL) tinham de dar maior flexibilidade e manutenção nos sistemas COBOL, então a visão deles era de algo "COBOL" e não o futuro a qual nós chegamos hoje.

Dentro do que estou fazendo e pretendo fazer, a ferramenta que achei mais interessante para programar para Tablets foi o Basic4Android, pois você não fará scripts que vão depender de outas coisas (interpretadores, navegadores, ...dores...dores...) e a ferramenta tem uma IDE poderosa o suficiente para colocar muitas outras de uso para desenvolvimento em PC Desktop em mesmo nível de capacidades. Isso é muito superior a um editor de textos. O resultado é sempre economizar tempo...pois tempo é "dinheiro".

Este é um assunto que vai longe...

Até a próxima.

Me interesso, como faço para entrar em contato!? Vlw!

Olá Mauro.

O que vc. tem em mente?

Mande-me um email: euclas@gmail.com

Euclides.

Desculpe a demora Eucllides. Mas me interesso pelo material de estudo para me inserir nesse mercado. Meu interesse é adequar minha agencia a desenvolvimento de aplicativos que vejo como uma onda muito forte por vir na web.

eu gostaria de receber a apostilia

Olá Valentim.

Esta apostila/Livro está paralisada por enquanto, dentro em breve pretendo retornar a ela. Não está decidido ainda qual vai ser o formato.

Mas está decidido desde o início: El(a/e) será pago.

Como aprender Basic é muito mais simples e produtivo, e vendo os preços de livros que ensinam a programar em Java para Android, pretendo vende-l(a/o) por um preço equivalente ao número de páginas que normalmente é cobrado pelos outros livros.

Quando houver novidades, postarei aqui.

Obrigado e até a próxima.

Obrigado , e porque eu tenho uma empresa de seguranca eletronica e o arduino / android seria muito util para o meu ramo.não tem problema ser pago mais eu gostaria de apreder . Ate. Porque eu estou comecando agora nesse negocio mais seria muito importante para minha area

Olá Valentim.

Aguarde mais um pouco, estou sobrecarregado com outros projetos (Como vc. é empresário "sabe" como a "banda toca"...), ao terminar pretendo voltar o mais "urgente" possível para terminar. Agradeço a compreensão. até a próxima.

Euclides...
eu tenho interesse em dar uma olhada em sua apostila

como faço para pegar o material com vc?

RSS

Destaques

Registre-se no
Lab de Garagem
Clicando aqui

Convide um
amigo para fazer
parte

curso gratis de arduino

© 2017   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço