Troca de experiecia em fabricação de circuito impresso

Ola a todos.

Minha primeira postagem aqui nesse forum,e gostaria de saber se estou no lugar certo para a troca de experiencias nas varias ténicas de fabricação de circuitos impressos

Exibições: 11095

Responder esta

Respostas a este tópico

Ao Mestre Zé Gustavo,

     Cara, eu cheguei a comprar uma impressora epson usada na OLX e comecei a desmontar, tem varios tutoriais no youtube,  e em todos o foco é ter que elevar o carro, pois entre o rolo e o carro com os cartuchos originalmente não dá pra uma PCI passar, dai tem que colocar calços.

    Bem, nos tutoriais é tudo lindo, na pratica, é dificilimo,  o problema esta em que grande parte dos encaixes das impressoras não é com parafusos, dai fazer a desmontagem é bem complicada.

    Eu já sonhei e tentei muito pois ao que tudo indica é o metodo mais rapido e facil,  mas confeccionar a tal impressora não é tarefa simples.

    Uma coisa que cheguei a pensar é em uma CNC, já ganhei até os motores Nema de um amigo,  mas é um troço que exige muito esforço e tempo tambem.

   

Ao Jose Antonio,

    Cara, você deve estar certo,  lembro que a plaquinha de 5x5 que fiz que ficou perfeita, teve um tempo de exibição a luz UV de apenas 2min,  enquanto a placa 10x10 que ficou defeituosa fiquei com medo e expus por 3min.

    Sim, eu sempre retiro o plastico de proteção de um dos lados, aplico na placa limpa deixando o outro, e somente depois revelar na camara uv eu retiro o segundo.

   Quanto a colocação do plastico de proteção no papel vegetal, com o Dry Film realmente isso passara a não ser necessario,  eu fazia isso porque usava muito a tinta fotosensivel, e ela tem a curiosidade de que por mais seca que esteja, durante a exposicação a UV ela parece aquecer um pouco e acabava grudando o layout, dai comecei a usar um plastico entre o layout e a placa com a tinta, só que no dry film, ele já vem com o plastico.

    Logo, vou seguir suas dicas, vou tentar baixar o tempo, usar uma menor quantidade de barrilha(vou pesar como você faz no video), e vou tentar a ideia da escova de dentes macia, hoje eu uso um rolinho.

Falando sobre outros metodos,

   Bem, acho que hoje tanto pra mim como pra o Zé antonio, o Dry Film é unanimidade, porem, pra chegar nele passei por alguns outros metodos, vou cita-los de traz pra frente.

- DRY FILM -

   PRO: Limpo, pratico e rapido.   CONTRA: Leva tempo pra se pegar o jeito, ou seja, você não chega de primeira e já sai fazendo placas a perfeição, pois tem ajuste de altura de lampada UV na caixa, tem que descobri o tempo de exposição, tem que ter a quantidade da solução de barrilha,  tem que saber a quantidade que se lavam, se pouco ele deixa residuos se muito ele solta as trilhas.

- TINTA FOTOSENSIVEL -

PRO: Rapida curva de aprendizagem, Excelentes resultados finais    CONTRA: É um mela, mela desgraçado, pra aplicar a tinta eu tentei 3 metodos a)aplicação e centrifuga: até funciona, mas se perde muita tinta fora que tem que ficar colando peça de microretifica no fundo da placa o que é um saco.     b)Aerografo: Gasta menos tinta e tem melhores resultados na distribuição, tem como ponto negativo que tem que se diluir a tinta com oleo de banana e dai muda as caracteristicas do produto, resultado o tempo de revelação muda de acordo com a diluição.     c)Tela de silkScreen virgem -  Pra mim o melhor metodo pra aplicar dos 3, tanto podia jogar a tinta na tela e aplicar, como podia aplicar a tinta na placa com o dedo e usar a tela só pra distribuir e uniformizar -  Tem como ponto negativo a melação, tem que sair lavando rodo, tela, etc. um saco.

- TERMOTRANSFERÊNCIA -

PRO: Excelente para placas com trilhas grossas   CONTRAS: Demorado, exige tempo de aprendizado pra pegar varias manhas.

   Eu subdivido o processo de Termotransferencia entre materiais que estudei pra fazer a transferencia:

A) Papel Oficio:  Até consegue fazer a transferência, mas deixa muito residuo da celulose, que afete o resultado na hora da corrosão.

B) Papel Revista e Couche:  Deixam menos residuos que o oficio, mas ainda deixa bastante, fazendo com que você tenha que ficar um tempão lavando e esfregando a placa.

c) Papel anti aderente de fundo de etiquetas:  Esse tipo de papel é tão anti aderente. que apesar de a olho nu parecer que foi feita a impressão, quando colocamos sob uma lupa, verificamos que ele não aceita todo o toner, dai os resultados sempre defeituosos.

d) Papel Transfer:  Tentei de 3 fabricantes e nenhum fez a trasnferencia 100% sempre rolava falhas, e pra trilhas finas os resultados eram sofriveis.

d) Termo Transferencia com Papel Aluminio:  Esse é criação minha, de todos os metodos de termo transferencia, é disparado o melhor,  tem como ponto negativo apenas o fato de que o papel aluminio das umas enrugadas quando passa na impressora,  mas como você leva a placa com o papel aluminio pra o percloreto com tudo, visto que o percloreto o dissolve, não ha problemas de perca do layout na transfercia.

   O resultado porem, depende muito da qualidade do toner e da impressora, logo, pra trabalhos delicados com trilhas finas é desaconselhavel.

    PS:  Esse é o unico metodo antigo que continuo utilizando depois do dry film, mas não o uso pra fazer as placas, eu o uso pra COLOCAR AS LEGENDAS,  no fundo da placa, como não ha grandes exigencias, ele é otimo.

- SERIGRAFIA -

    É um excelente metodo mas somente pra fabricação de placas em escala, pra fazer um só prototipo, é uma merda.

Bem, tem outros metodos por ai, mas vou parando por aqui, pois já falei demais.

abração.

Bom dia José Antônio. 

Eu entendo de fotografia - para fotografia, luz é tudo. 

Para entender melhor o seu processo, favor informar qual lâmpada Ultra-Violeta esta usando.

Modelo, potência, etc ( se tiver o link) 

Obrigado e abraços 

Gustavo 

Boas José. 

É uma lâmpada da Ourolux, do tipo econômica, (luz negra) de 20W comprei inclusive no super mercado. 

http://www.ourolux.com.br/produto_detalhe/luz-negra

Beleza ! Essa é barata e fácil de encontrar . 

Obrigado e abraços . 

Weider, 

grande semelhanças,

também já tentei alguns métodos descritos por você e realmente o que está mais agradando é o dry film. 

O mais desastroso e sujo, embora eu tomava o maior cuidado é a tinta foto-sensível. Fazia uma meleca só, o tempo da cura da tinta era um parto. 

Antes porém também tive a experiência com a transferência e como você mesmo disse, vai bem para trilhas grossas. 

Mais tente fazer estes ajustes que te falei e veja o resultado.

Realmente, também já vi algo na net como citei anteriormente mais mexer na parte mecânica da impressora deve ser muito difícil. 

Bom qualquer novidades estamos por aqui.

Abraços, 

J.Antonio

Quando chegar em casa eu tiro umas fotos da minha caixa de luz negra,  aproveitei uma daquelas caixas de madeira parecendo bau de pirata que vem com jogos de talheres,  eu ia passando na rua e alguem jogou no lixo, parei peguei, e pra variar minha mulher morreu de vergonha kkkk.

Depois foi só fazer as ligações, e colocar as lampadas,  a poucas semanas fiz um temporizador com timer reverso e memoria, o display, os botões e a caixinha eu tambem achei no lixo e reaproveitei.

De noite eu tiro fotos e posto aqui.

Ah....  tô com enormes problemas com uma tinta chinesa essa **** AQUI ****,  Ja tentei de tudo, aumentar tempo, cheguei a colocar 20min e nada, alguem já mexeu com elas?

  No geral eu uso essa --DAQUI--- e não sei se essa é brasileira ou não, só sei que é facil e rapida de trabalhar, no geral 3min pra revelar, e excelentes resultados,

  Mas a chinesa!!!!!!!  putz ate agora nada.

RSS

Destaques

Registre-se no
Lab de Garagem
Clicando aqui

Convide um
amigo para fazer
parte

curso gratis de arduino

© 2017   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço