Senhores Participantes,

    Gostaria de iniciar uma conversa com todos sobre a "filosofia" do Arduino. As perguntas:

Qual o proposito da criação do Arduino?

Onde esta a linha entre o prototipo e o produto, baseado em um Arduino?

Depois do prototipo feito, devemos pensar em fazer uma placa com os componentes do Arduino e toda a eletronica que necessitamos para desenvolver o produto pretendido? ou usamos a propria placa Arduino no produto final?

Que vocês acham?

Exibições: 326

Responder esta

Respostas a este tópico

Aqui é um lugar onde cada um dá sua opinião, gostaria de contribuir, ainda que consciente de que não pertenço à maioria (não penso como a maioria).

O Arduino é, na minha opinião, um produto criado pela Atmel para alavancar vendas, embora anunciado como um conjunto de desenvolvimento rápido para hobbistas, iniciantes e estudantes criado por pura caridade e amor ao tema.

É uma excelente ferramenta para iniciar seu primeiro produto, que pode ser prototipado com a placa Arduinoe depois pode migrar para uma solução customizada, com toda a eletrônica necessária (e nada alem dela) embarcada na placa que vc criar.

É fabuloso por permitir fazer tudo isso e ser gratuito (o compilador+libs). Devemos aproveitar ! Nunca foi tão fácil programar.

Embora na prática ainda não tenha visto um produto de mercado internacional que use um microcontrolador Atmel ou microchip como base. Vejo sempre National, SGS, Samsung, Holtek, etc, que não são oferecidos a hobbistas.

Enfim, acredito muito no Arduino mas vejo que quando o programa fica muito grande e profissional a tendencia é a migração para bibliotecas feitas pelo proprio programador, mais enxutas e mais sob controle e compiladores melhores (pagos) com funções de debug, entre outras. Como antigamente.

Olá,

Eu já desenvolvi projetos em plataformas PIC, 8051 e ARV (arduino).

Na minha opinião, o arduino é uma placa de desenvolvimento, uso para aprendizagem, e para montar meus protótipos. 

Acho que a plataforma do arduino tem um ponto positivo muito forte, que é uma curva de usabilidade e aprendizagem muito rápida, mas também vejo que toda essa facilidade por vezes tem um lado negativo, ter tudo na mão pronto, deixa o pessoal preguiçoso e pouco criativo, transformando o programador em usuário... mas mesmo assim vejo que existem mais pontos positivos que negativos.

Em um produto final, não usaria um arduino, prefiro desenvolver uma placa própria para o projeto, comprando todos os componentes e gravando o firmware no chip.

Boa Noite Allan,

Filosoficamente penso como o Eduardo, o Arduino é uma ótima ferramenta para iniciantes, estudantes e interessados, de baixo custo e grande flexibilidade, mas alem disso é uma jogada de marketing pra vender a linha ATmega, por exemplo, se um dia eu criasse uma nova tecnologia, é claro que eu doaria pra universidades, daria treinamentos de graça, tudo isso no proposito de quando o universitário formar, com certeza que ele ira preferir usar uma plataforma que conhecesse e com isso aumentaria minhas vendas.

Mas quanto ao Arduino como um todo, temos sim que aproveitar, conhecer cada vez mais, exercitar e usa-lo como laboratório, vamos criar nossos protótipos, testa-los exaustivamente e depois sim vamos criar a placa final minimalista de baixo custo e função dedicada ao seu proposito.

Hoje a industria paga caro por equipamentos que nós mesmos já projetamos e construímos aqui mesmo em nossas discutições sobre o Arduino, um exemplo claro disso são os relés temporizadores, que a industria compra por volta de uns R$200,00 e que com apenas um ATtiny85 de R$15,00 + uma circuitinho minimo, que no total vai sair por uns 50, 70 contos e ainda fazemos a configuração que eles quiserem... Com base nisso acredito que muita coisa será criada amanhã com um custo menor.

  

 O projeto do Arduino esta publicado com a licença Creative Comons, qualquer pessoa é livre para usar e modificar os circuitos de acordo com suas necessidades. 

Não tenho tanta experiência nessa área quanto o pessoal que postou aí, mas o Arduino pode sim ser utilizado num produto final. O problema é o custo disso.

Uma comparação: pra que você precisa de um pc com 8 GB de RAM se a única coisa que você precisa é um editor de textos?

Há quase 2 anos comprei meu primeiro Arduino. Um dia descobri que o Garagino tinha praticamente os mesmos recursos por 1/4 do preço. Comecei a pesquisar e descobri que existem modelos menores ainda, com menos recursos, mas preço bem menor também. Conforme vou avançando no aprendizado, cada dia descubro que dependo menos de um modelo pronto, que posso criar meu próprio modelo, não necessariamente com AVR, se assim for necessário.

A única limitação é o domínio em eletrônica e programação. O resto é criatividade e empenho.

Pelo que estou vendo todos os que responderam são da área e têm uma visão de quem é da área. Por esse ponto de vista o arduino realmente pode parecer um passo atras.

Mas vcs não estão vendo a imensa quantidade de pessoas que só começaram a desenvolver aplicações para microcontroladores por causa do arduino. Meu caso por exemplo. Eu sempre gostei de eletronica, quando era adolescente eu comprava revistas de eletronica e montava uns circuitinhos básicos usando barras de terminais.

Mas quando foi o momento de escolher uma faculdade acabei indo pra computação e me especializando em processamento de imagens. Bom, o fato é que em um momento ou outro o meu "eletrônico" interior acordava e eu tinha vontade de desenvolver alguma coisa embarcada, mas acabava desanimando justamente por causa da eletrônica. Até alguns anos atras não era assim tão facil usar um microcontrolador. Ele tinha que ser montado em um circuito com um cristal, um ou dois capacitores, alguns resistores e mais alguns componentes pra poder funcionar. E tem algumas manhas que o desenvolvedor precisa conhecer pra ter um bom resultado. Isso pode parecer básico pra quem é da área, mas assusta/desanima quem não é. Mesmo hoje que já tenho alguma experiencia, penso oito vezes antes de iniciar o projeto de uma placa, ainda apanho muito pra fazer uma pcb, se eu puder usar uma já pronta, eu prefiro.

Mas quanto ao software, não tenho muito problema pra desenvolver aplicações pra microcontroladores. Software é o que eu venho fazendo a mais de 20 anos e já aconteceu de eu ter que desenvolver programas para áreas que eu não tinha nenhum conhecimento prévio, essa é uma situação comum pra programadores. A gente simplesmente aprende o que precisa ser aprendido pra finalizar o programa, se necessário consultando especialistas. Em geral o especialista é o próprio interessado no programa, aquele que encomendou, então é do interesse dele fornecer todas as informações relevantes.

Com microcontroladores não é diferente. Programação em baixo nível, escovação de bits, e daí? Bons programadores não tem medo disso. O que pega é o conhecimento da arquitetura do uC e seus detalhes de funcionamento que no geral não são muito estranhos pra quem já tem algum conhecimento sobre arquitetura de computadores.

O resumo da ópera é que o arduino abriu as portas da programação embarcada pra milhoes de pessoas que como eu, sabem programar, mas nunca se animaram a encarar a eletronica necessária pra produzir uma aplicação embarcada. E isso é bom inclusive pros profissionais da área. Tem muita biblioteca pra arduino de excelente qualidade feita por gente da área da computação.

Mas pensando do lado dos profissionais da eletrônica, eu acho que fica melhor ainda. Uma plataforma de facil prototipagem com um acervo imenso de bibliotecas para controlar qualquer sensor ou dispositivo já inventado, tudo aí, disponível, pronto pra ser usado. Pra quem é da área, depois é facil colocar o atMega do arduino em uma placa feita pra aplicação. Eu pessoalmente usaria o arduino mini ou nano direto na aplicação e pronto, mas eu não sou da área.

Abraços,

Francesco

RSS

Destaques

Registre-se no
Lab de Garagem
Clicando aqui

Convide um
amigo para fazer
parte

curso gratis de arduino

© 2019   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço