MotoGerador de onda quadrada - Energia Infinita.

Pessoal, estou com um projeto de um alternador de ondas quadradas, estou buscando parceiros para construção do mesmo. Já fiz um protótipo o qual mostrou boa eficiencia tendo boa potência com baixo torque de arraste.

Exibições: 645

As respostas para este tópico estão encerradas.

Respostas a este tópico

Então fluxo de campo magnético não é energia?

No meu exemplo anterior a corrente elétrica é transformada em campo magnético considerando-se perdas por aquecimento despresíveis, então se o campo magnético pode ser considerado uma forma de energia, de onde vem a energia que faz os spins girarem infinitamente mantendo o campo magnético de um imã permanente?

O fato de você não conseguir ver uma forma de converter a energia de um imã em trabalho não quer dizer que não exista. O fato de eu não falar alemão não quer dizer que não seja possível.

A verdade é que as coisas só são possíveis quando nos abrimos à possibilidade.

Será que a energia presente no Universo já está definida? Será que ela é uma constante? Então a dose de energia individual está diminuindo tendo em vista que o Universo continua em expansão.

A física quântica já comprovou que tudo no universo é energia, que até a matéria é energia manifestada.

Só temos conhecimento de 5% das formas de energia do universo.

http://scienceblogs.com.br/universofisico/2012/01/inventario-da-ene...

Conclusão humilhante n° 2:  95% da energia do Universo está em formas sobre as quais sabemos quase nada.

Ainda estamos muito longe do total de conhecimento para estarmos fixando leis invioláveis.

A resposta para sua pergunta está na Lei de Faraday-Neumann.

Para transformar a energia do campo magnético em energia elétrica é necessário uma variação do fluxo magnético sobre as espiras da bobina. Que pode ser pela mudança do angulo de incidência do campo sobre a bobina ou pela mudança de intensidade e/ ou direção do campo magnético sobre as espiras.

Um imã permanente, não apresenta uma mudança no fluxo mangnético, logo não consegue induzir uma corrente em uma bobina. Considerando que os dois estejam parados.

Correto, a DDP é diretamente proporcional à velocidade de mudança do fluxo magnético. Por isso que estamos falando em motogerador, onde é fornecido um movimento macânico para se obter movimento elétrico.

A pergunta é: Como podemos obter o máximo de DDP com o mínimo de esforço mecânico?

Em geradores convencionais, é fornecido corrente elétrica no induzido para se obter tensão no enrrolamento ou seja nas fases, como o uso de imãs permanentes já é possível reduzir este consumo de corrente no induzido.

Edu, eu não consigo entender de onde vem essa energia infinita que você diz, que vai fazer a variação do fluxo magnético sobre as espiras de uma bobina, como o Flávio mencionou. 

Gustavo, a energia infinita já é o campo magnético presente nos imãs resultante da rotação dos spins, a forma como aproveitá-la é que é a questão na qual tenho a solução. Ou seja como reduzir o esforço mecânico para fazer o campo magnético variar sobre uma bobina. Em um gerador, quando tentamos mover o campo magnético (variar) os elétrons presentes no condutor se movimentam gerando um campo oposto à variação ocorrida, assim quanto maior a corrente, mais forte fica a resistência à variação do campo. É por este motivo que o movimento de motores elétricos são limitados pela tensão e proporcionalmente pela corrente que depende da impedância das bobinas. 

Um alternador de carro realmente é assim. Ele tem uma bobina energizada para obter o campo. Precisa ser assim pq a RPM é variável e ele precisa gerar uma tensão constante. Um bloquinho elétrico que fica no alternador tem um controle de tensão de campo para obter sempre a tensão de saída corrigida em função do RPM.

Já pequenos geradores como esses baseados em motores DC, típicos de brinquedos ou para acender farol de bicicleta não usam esse princípio. Para simplificar e miniaturizar usam imãs permanentes.

São muito simples e eficientes. Vc vira o eixo e uma corrente é gerada na bobina. Parou de girar parou de gerar. Se vc prender ele em uma roda pesada e der um impulso inicial grande ele pode ficar gerando DDP (tensão) por muito tempo realmente. Mas é apenas tensão. Se vc for querer tirar energia disso, representada pelo trabalho ou potência, vc precisa gerar alguma correte. Essa corrente representará um freio e a roda vai parar de girar com o tempo. A potencia gerada será exatamente igual a potencia extraída da roda menos as perdas.

Energia é um termo amplo, vai do misticismo à eletrônica, passando pela física.

Energia é a capacidade de realizar trabalho. Energia potencia, energia quimica, energia cinética, energia elétrica, etc.

O que queremos de um gerador é o trabalho, isso que nos faz feliz... Apenas energia por ex é o que temos em uma pedra sobre a montanha. Ela está cheia de energia potencial por estar alta. Vc pode consumir essa energia colocando ela em um cesto preso em uma corda e com um gerador do outro lado da corda. Chegou no chão acabou. Foi ótimo mas não infinito embora a força da gravidade continue gerando sua atração seja no baixo seja no alto.

Uma roda girando e gerando DDP é como a pedra lá parada. Para realizar trabalho ela precisa se movimentar (Trabalho=Força*Velocidade) que é análogo a potencia=Tensão*corrente. Quando vc gira a roda é como levantar a pedra, acumulou energia cinética, quando consome a energia cinética é como deixar a pedra descer, que consumiria energia potencia.

Realmente tudo é energia. Mas essa energia está encapsulada dentro dos átomos, podendo variar conforme as reações químicas (ex: combustão). Mas a maior parte da energia é inatingível salvo entrarmos pela física nuclear. 

Mesmo a combustão é perfeitamente equilibrada. Se queimamos um graveto e vemos calor é pq calor foi absorvido pela planta, formada por agua+co2+minerais+luz solar.

Mas acho que vc deveria persistir. Quem sabe todos estejamos errados, ficaria muito feliz em descobrir que vc conseguiu.

É Eduardo, porém quanto ao fluxo de campo magnético fornecido por um imã, este é infinito. Quanto à força de repulsão e atração elas nem sempre são iguais. Há quem justifique que ali está presente uma forma de energia potêncial que é transformada em energia cinética assim como a exemplo de uma mola. Porém temos de observar que o trabalho necessário para separar 2 imã é diferente dependendo da direção que a força é exercida. A melhor maneira para separar 2 imãs é exercendo uma força transversal. Assim, como que nesta equação há equilíbrio de energia.

Assim, ao meu ver, o magnetismo não obedece à lei de conservação de energia. Ele é infinito, estará sempre presente independente de influências externas.

Ola bom dia. Mesmo sem muito conhecimento, adoro esse tipo de discussão.
Na minha formação, um grupo resolveu fazer um projeto para aproveitar a água da chuva. Resolveram que colocariam um gerado em uma tubulação onde passaria a água da chuva que viria da calha telhado. Depois da água passar por esse gerador e pelo cano, era seria armazenada em um compartimento abaixo do chão para que posteriormente uma bomba levasse essa água para uma caixa dágua no telhado e pudesse ser reaproveitada.Um projeto legal e interessante mas que esbarrou em um problema simples. A energia gasta pela bomba para reaproveitar a água seria maior que a energia produzida pela chuva! Ou eles usariam a água d chuva só para gerar essa energia ou descartariam esse gerador e aproveitava água da chuva somente para reproveito. Eles optaram por não fazer o projeto.
Contei essa história somente para exemplificar que uma energia resultante de uma transformação nunca vai ser maior que a energia transformada inicial. Sempre há percas.
Se sua ideia for dar um start no gerador para fazer com que o condutor se movimente no campo, gerando assim movimentação dos elétrons, e essa energia resultante parte possa continuar a girar esse gerador e a outra parte seja consumida, creio e que a energia gerada não será suficiente para isso.ISSO É UMA LEI FÍSICA. Seria a mesma coisa de querer fazer um gerador de energia elétrico no qual sua energia primária seja a propia energia elétrica. Você ira ter uma produção de 8kva gastando 15kva...
Se sua intenção for usar imãs no rotor do gerador com polos invertido ao imã principal para que depois de um primeiro impulso a lei de repulsão continue a girar o rotor, talvez o resultado seja positivo. Mas como nossos amigos já disseram a extração da potência gera força e essa força brecaria o movimento. Mesmo essa energia inicial vindo da agitação dos átomos, um movimento natural e que não pode ser parado. Não pode ser parado mas pode ser anulado por uma força maior. Assim como eu consigo, aplicando uma força maior, encostar e manter encostado os polos diferente de dois imãs. o campo magnético está lá mais foi anulado pela força que estou aplicando.
Essa foi minha opinião,fiquem a vontade para debater ou me corrigir.... obrigado pessoal.

Você está correto Braulio, na física da forma como conhecida, toda a energia que entra em um sistema é igual à que sai, e em toda transformação existem perdas.

Porém no sistema que estou desenvolvendo a energia fornecida, parte vem do campo magnético do imã (a qual considero ser infinita quanto ao tempo e limitada em intensidade depende do tamanho), e parte vem de esforço mecânico para gerar a variação no campo magnético. Deste conjunto de forças, desejo retirar potência de forma a manter o sistema funcionando. 

Suponhamos que: 100W que eu tenha de saída no sistema, 30W é do campo magnético fornecido pelo imã e 70W vem do esforço mecânico(torque), então eu pego estes 100W e alimento um motor elétrico o qual irá transformar esta potência novamente em torque com perda de 10%, assim eu teria novamente 90W de esforço mecânico disponível para manter o sistema, porém eu só preciso de 70W. No sistema continuará a haver perdas, porém como o fluxo de campo magnético fornecido pelo imã é infinito, ele se manterá em funcionamento.

"Suponhamos que: 100W que eu tenha de saída no sistema, 30W é do campo magnético fornecido pelo imã e 70W vem do esforço mecânico(torque)"

Eu pareço nao ter entendido essa parte...o seu sistema irá fornecer 100w. 30w proveniente do campo magnético e 70w do esforço mecânico. Qual seria o combustível desse esforço mecânico?

O esforço mecânico fica em ciclo fechado, motor elétrico transferindo torque para o gerador.

Bom dia Edu.

Você ja tem um protótipo rodando conforme esse seu exemplo? 

"Suponhamos que: 100W que eu tenha de saída no sistema, 30W é do campo magnético fornecido pelo imã e 70W vem do esforço mecânico(torque), então eu pego estes 100W e alimento um motor elétrico o qual irá transformar esta potência novamente em torque com perda de 10%, assim eu teria novamente 90W de esforço mecânico disponível para manter o sistema, porém eu só preciso de 70W. No sistema continuará a haver perdas, porém como o fluxo de campo magnético fornecido pelo imã é infinito, ele se manterá em funcionamento."

RSS

Destaques

Registre-se no
Lab de Garagem
Clicando aqui

Convide um
amigo para fazer
parte

curso gratis de arduino

© 2017   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço