Enquete - Carreira dos Estudantes de Engenharia da Computação

Bom dia a todos,

não sei se é apenas com meus colegas de classe ou se é geral, mas pelo que vejo "todos" que

fazem o curso de engenharia da computação sempre estão trabalhando/estagiando na área de

suporte, desenvolvimento web ou help-desk. O curso em si é voltado a automação (no meu caso)

e pretendo quando formar, trabalhar na área de automação, independente se for desenvolvimento 

de sistemas embarcados, projetar e desenvolver hardware, robótica, etc. 

Ontem conversando com dois amigos e colegas de classe, percebi que eles tem opiniões bem

diferentes, um fala que trabalhar com suporte o salario é sempre bom e não pretende sair dessa área, e outro falou +- a mesma coisa e acrescentou que na área de desenvolvimento "não dá dinheiro".

Eu não fiquei calado e fiz uma pergunta:

Se vocês querem trabalhar com TI (tecnologia da informação), por que vocês fazem Engenharia da Computação, se tem áreas especificas para TI onde vocês podem aprender mais aprofundado que

aqui. 

Responderam: Eng. da Comp. você aprende um pouco de tudo. Pra ficar sabendo de tudo, faço

cursos fora da faculdade.

A enquete é para saber o que vocês acham sobre o que está acontecendo.

Por que o foco do curso está se desviando?

É falta de informação e orientação na hora de escolher o curso?

Falta de emprego?

Sem noção sobre a ementa do curso? (Engenharia da Computação)

Vocês conhecem algum curso de Eng. da Comp. que apenas estudam TI?

O que vocês acham?

Por favor, sua opinião é muito importante, isso pode ajudar muitas pessoas que estão

em duvida em qual curso fazer. Duvidas gerais.

Att. Camilo Jr.

Exibições: 3156

Responder esta

Respostas a este tópico

Se tu juntar produção e automação vais ter uma boa carta na manga sim. Vai te que sacrificar um ou outro se for trabalhar como funcionário, mas te dá mais possibilidade.

Comece pensando onde você quer estar daqui a 5-10-15-20 anos.

Financeiramente, realização profissional e pessoal, familiar, geograficamente (não tem mercado em todo lugar pra qualquer curso, especialmente na engenharia você tem que está pronto pra fazer as malas), bens que pretende adquirir nesse prazo.

Tudo se resume em prioridades. E prioridades mudam conforme as responsabilidades mudam.

Hmm, tendi, e que na verdade oque eu gosto mesmo e automação, porem nao queria depender so da automação, fazer um curso de tecnologia e depois a engenharia seria bem interessante para mim
Vc sabe me dizer algum outro curso de tecnologia que iria me ajudar na carreira de Engenheiro de automação?

Faço Engenharia da Computação e atualmente estou no último ano.

Não sei bem o que acontece, mas 95% do pessoal que faz esse curso acaba indo pra área de TI, mesmo que o curso não foque nisso. Penso que seja que, por causa do nome 'Computação', as empresas acabam 'achando' que é a mesma coisa que ciências da computação. Isso é muito desanimante, pois você ve coisas de elétrica, eletrônica, mecanica e não pode usar esse conhecimento no seu ambiente de trabalho.

Fazendo um balanço geral, o curso de engenharia me ajudou a ter um pensamento bem mais treinado sobre a área técnica, a ver as coisas de uma maneira mais simples, enfim, a ampliar meus horizontes. Pra mim acabou valendo a pena. Penso que não teria aprendido isso em um curso de ciências da computação, pelo contato que tenho com profissionais dessas áreas.

MAS, embora eu gostei muito do curso, se alguém me perguntar se recomendo que o curso de Engenharia da Computação, eu direi que não pois muitas vezes quem faz esse curso fica meio desnorteado sobre o que realmente o curso se trata.

Por tudo que eu vi nesses 5 anos de curso eu digo: se seu campo é TI, vá fazer ciência da computação ou análise de sistemas. Se é automação, vá fazer engenharia de automação ou mecatrônica. Engenharia da Computação no fim, é um curso incompleto

O Curso em si não é incompleto. Você estuda computação por todos aspectos. Dos computadores mecânicos, passando pelo transistor, até a rede neural.

É como falar que um clínico geral não é um profissional completo porque ele estudou desde obstetrícia até neurologia, ou um curso de Direito é incompleto porque tu estuda desde a área Familiar até a Tributaria, Eleitoral ou Criminal. Só porque você não ficou focado em apenas uma área desde o começo da vida acadêmica?

São cursos abertos, vão te dar a chance de realmente escolher a área onde queres atuar.

Isso a Eng. de Computação herdou da Eng. Eletrônica, que herdou da Elétrica.

Queres ser Eng. de Software? Vais ter uma baita base de algoritmos e as mais diversas linguagens de alto nível pra isso, um perfil mais técnico e menos filosófico.

Queres programar manipuladores robóticos? Tens todo o calculo e algebrismo envolvidos na cinemática de um robô.

Quer mexer com controle? Tens toda a teoria de calculo e transformadas para projetar malhas de controle.

Queres programar embarcados (FPGA, DSP, MCU,CLP)? Tens as bases clássicas de algoritmos, programação tanto em alto nível quanto baixo, lógica, teorias de circuitos lógicos digitais, diversas linguagens (C/C++, Ladder, Java, VHDL... ).

Queres mexer com telecom? Tens desde o eletromagnetismo e a física quântica/óptica até Redes, Governança de TI.

Queres mexer com Gerência de T.I.? Tens eng. econômica, administração de empresas, gerencia de T.I., redes de computadores, redes multimídia,...

Eng Comp. é diferente de um curso de engenharia de controle e automação, que tu sabe que o teu foco é automação.De um de Telecom que teu foco é telecom. Da Ciências da computação que teu é software.

Na engenharia de computação não tem professor, não tem currículo dizendo pra onde tu deve ir. Tu tem que ser autônomo, senão vai chegar na 9ª fase sem saber em que área vai fazer o TCC.

É um dos motivos de a cada 80 calouros formar 3. O cara se sente perdido e desiste.

Tu pode fazer 4mil horas de curso e focar na área de testes, que tu estudou 40hs lá em Eng. de Software II. Nada te impede.

A especialização é outro nível de ensino, é pós-graduação.

Aqui no Brasil confundem especialização com perfil técnico focado, operacional.

Não é a mesma coisa. Pensando apenas no conhecimento adquirido no curso (esquecendo os estudos autodidatas), um programador de CLP entende muito mais de programação de CLP que um engenheiro, mas ele não tem a base teórica necessária para estudar um sistema complexo (em modelo matemático pronto) e definir a sua função de transferência.

Na minha opiniao, rola um pouco de tudo.


Eu faço engenharia da computaçao na IBTA.
E assim.

Hoje eu trabalho com suporte, porque me [é uma fonte provedora melhor do que um estagio.
Mas vai chegar uma hora q eu vou ter que fazer estagio, e tambem vai chegar uma hora que o suporte vai chgar no teto.
Dificilmente ganha-se TAOOO bem assim com suporte. Suporte é pra começo de carreira.


Meu foco, é chegar na area de atuomaçao industrial. Mas é fato que no brasil hoje em dia, é um pouco que nao explora todo seu potencial.

Até hoje, eu nunca recebi uma proposta de trabalho/estagio, nesses sites de empregos, que fosse voltada de FATO ao desenvolvimento da computaçao fisica, ou microchips e afins. area de automaçao, rolou uma ou duas, mas MTO MTO MTO longe. POrto Alegre, kkkk



Na minha opiniao, o cara que pensa e mfazer um curso de engenharia da computaçao, pra  "aprender um pouco de tudo" , e ficar no suporte. Nao pensa como engenheiro. O Custo do curso é MUITO maior, e o tempo é quase o Dobro.





Eu quis ser engenheiro, por que pretendo dar um foco academico pra vinha vida, quando estiver beirando meus quarenta anos.

enfim
minha opiniaoé essa.

e ufui fazer engenharia pelo titulo de bicharel, e pela facilidade de migrar de area se um dia eu ficasse de saco cheio de tudo.

RSS

Destaques

Registre-se no
Lab de Garagem
Clicando aqui

Convide um
amigo para fazer
parte

curso gratis de arduino

© 2018   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço