Amigos, gostaria de aprender a trabalhar com PIC.

Alguém indica um livro para iniciantes?

Que fale sobre programação e eletrônica para o PIC?

Bem escolinha da tia Teteia mesmo...rsrs

O B-A BA...

Obrigado

Exibições: 398

Responder esta

Respostas a este tópico

Oi SS,boa tarde,

aqui tem varios livros sobre PIC, para download.

http://microcontrolandos.blogspot.com.br/2012/12/apostilas-e-livro-...

Rui

Rui, muito obrigado.

Vou começar por aqui....tem muita coisa mesmo...rs

abraços.

comece adquirindo ou montando um gravador(se ainda nao tiver um).

outra dica é começar com modelos simples pra depois ir evoluindoe migrando para pics mais parrudos.

eu por exemplo comecei pelo 16f84a passando para o 16f628a e depois 16f877a.

daí´fui para os 18f.

Olá,

  Queria comentar que comecei com o Z80 (anos 80), migrei para o 8051, fiquei nele muitos anos, tentei migrar para o PIC mas não consegui me adaptar de jeito nenhum, não vi absolutamente vantagem alguma, depois conheci o Arduino e hoje para novos projetos penso em usar o 8051 (no caso o C8051F340 da silabs, viciei nele) ou o Arduino, por ser mais fácil para projetos que precisem de hardware mais moderninho como cartão SD ou Ethernet.

  Enfim, não sei o que te levou a decidir sobre usar PIC, mas caso seja por ser mais fácil... Saiba que não é verdade. A disponibilidade de tutoriais e exemplos e placas do Arduino o torna incomparavelmente acessível para iniciantes.

  Esta é minha sincera opinião, entendo que assim como tudo que é movido por paixão [1] está sujeito a discórdia.

Refs: 

[1] https://pt.wikipedia.org/wiki/Paix%C3%A3o_(sentimento)

Eduardo, a minha primeira placa de microcontrolador foi também com 8051. 

Uma placa da Revista Elektor. Estudei todos os exemplos, testei alguns. 

O esquema era parecido com o do Arduino. Os programas ficavam em uma NVRam. 

Isso a uns vinte anos atrás. 

Depois a mais de 10 anos atrás, fiz algumas experiências com o PIC 16C84. Fiquei fascinado.

Mas concordo que não era nada simples para um iniciante. Para mim que estudo microprocessadores desde o 8080 e Z80, não foi tão difícil assim. 

E mais recentemente, aprendi a usar o Arduino. O Arduino é imbatível em termos de facilidade de uso. 

Por isso o grande sucesso no mundo inteiro. 

Mas agora com a compra da Atmel pela Microchip, acho que a gente vai ter um MIX de Atmega com PIC.

Essa é a minha previsão. 

Talvez seja questão de preferencia, mas eu eu gosto dos datasheets da Atmel, eles possuem uma boa organização em comparação com os da Microchip.

O que facilita mais ainda são os exemplos em C, que a própria Atmel cria, para exemplificar a configuração de alguns registradores e isso dentro do datasheet do microcontrolador.

Só espero que os próximos datasheets da Microchip, sejam parecidos com os da Atmel de hoje.

Rui obrigado pela dica.

Eduardo, José e Flavio, como disse, estou começando então qualquer coisa que vier vai ser difícil...rsrs

Se começar logo com PIC então o 8051 vai ser mais fácil depois !?!? (será?)

Qual a diferença entre um PIC e um 8081? Ambos são microcontroladores certo? (Rui, viu que já li a parte da apostila que fala a diferença de microcontrolador e microprocessador..rsrs)

Já brinco com Arduino e até desenvolvi alguma coisa com Atmega1284p.

O que me levou a pensar em PIC foi que certa vez vi uma placa feita em casa que tinha um PIC, uma "chip" GPRS e também Ethernet, então percebi que com poucas peças o cara conseguiu montar muita coisa (em uma placa).

Eis a pergunta, o PIC é poderoso assim mesmo? Consigo fazer tanta coisa assim? Vale a pena mesmo aprender PIC para projetos mais "parrudos"?

O que vcs orientarem, vou cair de cabeça...rsrsrs

Só não vale mandar pular da ponte...rsrs

obrigado

Posso compartilhar um pouco da minha experiência na linha de 8 bits, tanto AVR quanto o PIC são muito "poderosos" então você pode fazer muita coisa. Hoje a vantagem que eu vejo em usar AVR, são os exemplos e aplicações que o Arduino criou, tem uma comunidade bem ativa, (as placas básicas Arduino usam  AVR), então o Arduino consegue mostrar "toda a capacidade" que um simples microcontrolador consegue obter em diversas aplicações e áreas do conhecimento.

Outra coisa, eu considero o Arduino interessante pois no mercado exitem diversos tipos de shields, ethernet, gprs, wifi, display, cartão SD e muitos outros, logo você não fica limitado na expansão de sua placa.

Só colocando um parêntesis, é possível programar as placas do Arduino usando C de baixo nível e sem a IDE do Arduino, como alguns dizem "escovar bits".

Quando eu comecei a estudar foi com PIC, mas eu considerei muito lento e travado a curva de aprendizado, e havia poucos exemplos, outra coisa que eu não gostei era ter que usar o CCS, ele era muito bugado, por exemplo não reconhecia bibliotecas e o que me incomodava mesmo era o fato de ter que crackear o programa (que não funcionava direito).

Eu evitaria o 8051 também, ele foi otimo num contexto do século passado, pra mim era o unico que atendia por ter USB, ADs rapidos e muita, muita memória, até 64Kb para programas e 4Kb de ram (usava display gráfico grande), coisa que o PIC não costuma ter ou custaria muito mais caro para ter. Mas esqueça ele para iniciantes. O compilador é pago, foi um diferencial a empresa ter uma lic full do compilador.

O Arduino é uma plataforma, pode usar como microcontrolador hoje um AVR (Atmegas ou Attiny), ARM (muito mais poderoso) e agora tb Intel e não sei mais oq, me perdi. Em breve os PICs também possivelmente vão compilar sob essa plataforma já que a Atmel está para ser comprada pela Microchip.

Hoje para iniciante recomendo mesmo o Arduino, o segundo lugar, distante, seria o PIC.

A placa que vc abriu deve ter um projeto de uns 10 anos de idade (ainda que tenha sido comprada agora). A uns 10 anos o Arduino nem existia, o autor usou o que havia de melhor na época. Em engenharia o melhor nem sempre é o "melhor". Melhor é o que melhor preenche os requisitos. Se vc coloca um microcontrolador com mais recursos que o necessário está rasgando dinheiro. 

Opostamante aos PCs, que são sempre superdimensionados alinhando pelo bolso, pensando no futuro pq as atualizações de software vão custar performace os microcontroladores rodarão apenas um software até o fim de suas longas vidas. Então seria erro superdimensionar. (Salvo velocidade, que vale sempre para garantir qualidade e responsividade).

Enfim, va de PIC se quiser, não diga que não foi avisado. Em breve vc encontra "a turma" no Arduino, se lançarem uma versão para PIC. É um excelente microcontrolador sim.

RSS

Destaques

Registre-se no
Lab de Garagem
Clicando aqui

Convide um
amigo para fazer
parte

curso gratis de arduino

© 2017   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço