Boa noite amigos do Lab.

Alguns dias atrás estava conversando com um sobrinho meu, que esta na época de escolher o curso superior. Ele já fez o ENEM e esta aguardando os resultados para ver onde poderá estudar. Ele pretende fazer Engenharia Civil.

Na minha época, tinha que fazer vestibular. Estava conversando com ele e explicando que o meu sonho era fazer um Curso de Eletrônica. Mas infelizmente, devido à ditadura militar da época (fiz o vestibular em 1979), o único curso de Engenharia eletrônica que existia em Belo Horizonte foi extinto ! Isso mesmo, extinto ! Na época a explicação que me foi dada é que o militares tinham receio de que os engenheiros eletrônicos montassem rádios e TVs piratas, para divulgar informações contra o governo no poder. Eu acredito até hoje que foi por  isso mesmo. O curso era dado na Universidade Católica de BH. Na Universidade Federal de MG não tinha curso de Engenharia Eletrônica. Somente de Engenharia Elétrica. Acho que naquela época existia um curso de Engenharia Eletrônica em Santa Rita do Sapucaí (sul de Minas) , mas estava fora do meu alcance. Naquela época eu já estava empregado. 

Na época fiquei indignado, revoltado e frustado. Por isso tive que fazer o vestibular para Engenharia Elétrica ( que não tinha nada a ver com o curso que eu sonhava) . Passei somente na PUC, e por dois anos tentei dar prosseguimento ao curso. Devido ao excesso de trabalho e falta de interesse no curso de Elétrica, desisti do mesmo. Essa é uma parte da minha história com o curso de Engenharia. 

Pesquisando atualmente sobre Engenharia Eletrônica em BH, constatei que até hoje não existe tal curso ! Existem alguns cursos de outras Engenharias com  especializações em eletrônica. O que não é a mesma coisa. Para mim, isso reflete no atraso tecnológico em Eletrônica que temos aqui no Brasil. Isso é muito grave e alguém precisa tomar uma atitude para reverter esse descaso. 

Comente aqui, se quiser, sua experiência com Engenharia Eletrônica ( felizardos !) . E o que acham da minha preocupação? Acho que a gente precisa dar uma alerta para os mais jovens. 

Obrigado para quem colaborar com o tópico ! 

Exibições: 126

Responder esta

Respostas a este tópico

Boa Noite Murta!

Essa era uma dúvida que eu tinha desde os tempos de vestibular (Faz muito tempo).

Nunca entendi porque não havia um curso específico de engenharia eletrônica. Agora entendi o porquê.

Realmente é uma lacuna no nosso sistema de ensino.

Recentemente, surgiu uma outra graduação que é a Mecatrônica, mas que parece que não deu muito certo.

Eu acho que essa situação não vai mudar nunca, pois o que está acontecendo hoje é que os cursos de exatas estão diminuindo.

Abraço!

Boa noite José Augusto,

Veja o legado prejudicial que um regime ditador pode trazer para um país. 

Já são quarenta anos sem engenharia Eletrônica, pelo menos aqui em BH. 

O ciclo dessa deficiência será dificilmente quebrado. Como ter um curso de Engenharia Eletrônica, se não temos Engenheiros e muito menos professores ? Só se importarmos de outros estados ou de outros países. 

Estamos na contra-mão do progresso, onde os países menos evoluídos somente cresceram após investimento maciço em educação, como por exemplo na Coréia do Sul.  

Interessante, aqui em Recife - PE, temos a UFPE que possui o curso de Engenharia Eletrônica. Eu curso Engenharia Elétrica pelo IFPE. E em relação ao regime militar, eu não entendo o por que retirar apenas o  curso de Engenharia Eletrônica (como você comentou), se Engenharia Elétrica, Teleco, podem ter a mesma capacidade de desenvolver Rádios e tals...

E salva constar que os cursos que eu citei acima são extremamente pesados, necessitam uma grande dedicação. Muita Matemática e Física até você dizer chega... E algumas coisas não triviais.

Boa noite, Felipe, 

No seu curso de engenharia elétrica tem matéria sobre a tecnologia de TV e de rádio? 

Como desenvolver um transmissor de TV e Rádio? Naquela época era TV Analógica. 

Talvez em um curso de Engenharia Elétrica, com especialização em telecomunicações.

Esse é o seu curso? 

No meu curso apenas há as ênfases de eletrotécnica (eletrônica de potência, energia renovável...) e controle e automação. Acredito que em outras universidades existem a ênfase em telecomunicação (aqui mesmo em Pernambuco).

Abraços!

Meu CREA é de "Engenheiro Eletricista" embora tenha feito engenharia elétrica com ênfase em eletrônica.

Reclamei muito disso, tanto na faculdade quanto no CREA. Em uma palestra do CREA foi perguntado o motivo e a resposta foi que mantendo o "eletricista" se ganha pq é permitido o uso desse CREA para assinar plantas de elétrica. Assim disseram...

Sobre os militares segurarem informação, sempre ouvi o contrário. Os colegios e universidades militares foram sempre as melhores. Estudei numa (fiz mestrado em sistemas e dispositivos eletrônicos no ITA) e realmente foi otimo. Conheci os laboratorios, por ex, que receberam tecnologia francesa de fabricação de semicondutores. A esmagadora maioria dos alunos não é militar. Quase todos que buscam um mestrado ou doutorado pretendem uma promoção na universidade onde lecionam (na epoca tb estava nessa). Enfim, desconheço que um dia tenham se envolvido em segurar algum tipo de informação assim. Acredito que seja um achismo de alguém do contra.

Isso mesmo Eduardo, 

O curso de Engenharia Eletrônica do ITA era considerado na época um dos melhores do Brasil.

Creio que ainda o seja, não sei . 

Mas faz sentido a minha informação sobre a extinção do curso aqui em BH . 

No ITA era ( e ainda deve ser) um curso controlado pelos Militares. 

Sobre a extinção ser para desestimular radio e tv pirata... Nunca ouvi falar de engenheiro envolvido nisso. Pra vc montar basta ser tecnico. No tecnico sim tinha uma materia chamada ACRTV que era analise de circuitos de radio e TV. Falava mta coisa interessante sobre sinal de video, modulação, linha de atraso, etc. Na engenharia só calculos. Nada de circuitos complexos. Faziam miséria num circuito com um capacitor e um indutor, mas nada com receptores ou transmissores. Assim é o curso de engenharia...

Enfim, ainda acho que não procede. Mas não tenho a informação, é só o que eu acho. A  "Universidade Católica de BH" não se reporta ao exercito, que eu saiba. Sequer ouve, quanto mais obedece o governo. As universidades podem criar os cursos e mandam as ementas para serem aprovadas pelo MEC. Hoje ele inclusive fiscaliza. Antigamente não. O contato entre faculdades e governo é o MEC. Ele só fecha cursos se estiverem irregulares (o MEC faz exigências e a escola não cumpre. Exigências como: x horas  aula presenciais das quais 30% em laboratório. Se a escola não monta o laboratório fica irregular). 

Antes mesmo de entrar para o curso de Engenharia Elétrica na Católica, já frequentava a Biblioteca da Universidade. Eu já tinha feito o curso técnico de eletrônica no CEFET, e visitava com frequência a Biblioteca da PUC, pesquisando revistas e livros estrangeiros de eletrônica. Lá tinha um excelente material para consulta. Meu sonho era fazer o curso de engenharia eletrônica lá. 

E numa dessas visitas conheci um engenheiro eletrônico (última turma) da época. E perguntei à ele, porque no próximo ano, o curso de eletrônica seria extinto. E foi ele que me passou essa informação. 

Por que uma Universidade tão importante extinguiria um curso tão importante ? Não tem explicação lógica. Naquela época, como você mesmo pode lembrar, o governo militar é que mandava. 

A lacuna é tão grande nesse assunto, que esse tópico  nem desperta o interesse dos jovens.

Só posso lamentar...

RSS

Destaques

Registre-se no
Lab de Garagem
Clicando aqui

Convide um
amigo para fazer
parte

curso gratis de arduino

© 2019   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço