Olá garagistas !

Gostaria de postar aqui uma dúvida de um projeto que estou querendo fazer, e gostaria de contar com a ajuda de vocês, podendo até fazermos juntos, este que pode servir para ajudar muitos iniciantes e desenvolvedores.

Toda a vez que eu precisava começar um projeto novo, ou mesmo testar algum código, módulos, componentes etc, eu me deparava com a necessidade de montar do zero na protoboard todo o material necessário (microcontrolador, display, botões, leds, reles, etc). Eu sei que existem kits desse tipos no mercado, alguns de empresas nacionais, outros de fora, mas o preço acaba sendo bem salgado para quem está começando ou mesmo não quer ou não pode gastar muito com isso, então pensei em fazer uma placa já com vários componentes para auxiliar no desenvolvimento de vários projetos ou testar ideias.

Gostaria da da ajuda dos demais afim de reunir idéias sobre o que seria o mínimo necessário para criar uma placa/kit de desenvolvimento que não deixe muito a desejar no quesito de periféricos mais utilizados e facilidade de montagem e ligações.

A princípio eu iria fazer a PCB em casa, mas devido ao número de componentes na placa, uma PCB face simples ficaria inviável, e fazer em casa uma dupla face com furos metalizados é fora de questão, então pensei em recorrer aqui ao LdG e quem sabe podemos fazer o projeto e mandar fabricar as PCB's em quantidade com acabamento profissional para todos que estiverem interessados.

Abaixo segue um primeiro layout que fiz só para ter uma ideia de como ficaria a placa com os componentes e periféricos. Estou utilizando o DIP Trace, que já estou acostumado, mas aí já surgir o primeiro problema, a versão Free que eu utilizo já não permite criar layout's com mais de 300 pinos, logo vou ter que recorrer a outro software.

Os módulos que pretendo colocar a princípio:

- Microcontrolador Atmega328p (para que está acostumado com arduído);

   - soquete ZIP para facilitar a troca e gravação de novos MCU;

   - interfaces de programação por USB(FTDI e ISP);

   - conector de expansão I2C;

- Regulador de tensão Buck DC-DC ao invés de 7805 que esquenta muito e não suporta muita corrente;

- Display 16x2;

- Diplay 128x64;

- Buzzer;

- Leds;

- Switchs para teclado matricial; 

- Modulo Rele; 

- Acoplar uma pequena protoboard para ligação de outros componentes externos;

A princípio seria isso, se alguém simpatizar com a ideia e achar interessante, vamos seguindo esse projeto.

Exibições: 436

Responder esta

Respostas a este tópico

Boa noite AFL,

excelente ideia, 

Se precisar de palpites posso contribuir.

RV

Bom dia André, 

Minha visão sobre desenvolver uma outra placa Arduino:

- dificilmente a sua placa vai ser mais barata do que os dispositivos chineses. Pesquise e avalie antes. 

O ESP32 esta vindo com força total - pode ser que passe por cima do Arduino ATMega 328 .

Já existe um Kit Arduino educacional similar:

http://autotek.com.br/produto/maleta-arduino-explorer/

Olá.

  Como pesquisa, treino, hobby é fabuloso, recomendo ! como o colega mineirin RV citou.

  Infelizmente como negócio, como o colega José Gustavo Abreu Murta disse.

  Adicionando, para não dizer que estuo apenas repetindo, que esse mercado tem basicamente 2 tipos de compradores:

1) Hobbistas, alunos, curiosos, pessoas físicas, etc. Que estão acostumados com preços de compra direto da China, Marcadolivre, etc, e não sentem necessidade de produtos mais elaborados nesse sentido.

2) Escolas, que focam em produtos mais acabados, a prova de aluno e a prova de prof despreparado. Produtos que tenham unidade (para evitar perda de peças) e que tenham amplo material didático. Que forneçam meios e respostas alem de serem aceitos pelo MEC como investimentos reais para formação de algo que possa ser classificado como "laboratório". Essas escolas, infelizmente, cada vez menos tem investido em cursos de eletrônica aplicada seja no técnico ou na engenharia. Existe uma verdadeira fuga do jovem quando se fala em cursos que precisem de embasamento matemático ou físico. Entendo que um produto como o citado pelo José Gustavo Abreu Murta tenha sido criado para esse publico (escolas). Mas que provavelmente tem sua venda bastante limitada por políticas como: Priorização de investimentos conforme procura dos cursos, rejeição acadêmica do modelo oferecido pelo Arduino, adoção de simuladores, adoção de placas chinesas de valor subsidiado por políticas de dominação mundial daquele governo.

Enfim, não tendo pretensões de enriquecimento é uma ótima ideia, ótimo produto.

Boa tarde AFL.

Gostei muito da ideia, e como disse antes, estou dando meus palpites.

Desenhei uma placa que pode ser usada assim:

A principio é somente uma placa com furos e ligações entre os furos.

Dai a pessoal pode soldar as barras de pinos/fêmeas de acordo com sua necessidade.

E usará os locais também conforme sua necessidade e ir aos poucos completando a placa da forma modular.

Isto é muito bom principalmente para iniciantes que podem aos poucos incrementando sua placa.

Abaixo desenho com duas imagens.

A primeira mostrando onde pode-se colocar componente, e a segunda somente "despopulada" ,

mostrando somente os furos/pinos/fêmeas.

RV

Agradeço as respostas e atenção.

Rui, palpites é o que estou querendo mesmo, kkk. Será de grande ajuda pois por mais que nos dedicamos, sempre pode passar alguma coisa importante, e finalizar uma placa desse porte e depois lembrar que poderia ter colocado mais uma conexão função é chato.

Minhas maiores dúvidas é com relação aos métodos de gravação e possibilidade de expansão do MCU, o que seria imprescindível ter. Seu esboço ficou muito bom, vou levar em consideração com certeza.

Gustavo, No meu caso não é mais uma placa Arduíno que estou querendo desenvolver, e sim uma plataforma para realização de protótipos para depois passar para o projeto final, já aproveitando a facilidade por já ter alguns módulos mais usados, como display e teclado, e também fazer a gravação do MCU na própria placa usando USB ou gravador USBASP com conexão ICSP, podendo utilizar uma IDE de programação mais profissional com o AtmelStudio e gravar o chip diretamente com eXtremeBurner por exemplo.

Nesse meu caso específico, é para o desenvolvimento real dos meus projetos, mas por enquanto não compensa para mim usar o ESP, pois tenho algumas encomendas mais simples, apenas sistemas stand alone, sem intenção de comunicação de rede ou sem fio. O Atmega328 assim como o Atmega8 para mim são ótimos, pois posso gravá-los e soldar diretamente no projeto final, e tem boa quantidade de IO's, e são baratos.

Arduíno Mega por exemplo, eu nunca quis ter um. Prefiro usar um 328 e usar um expansor de portas se precisar de mais conexões, ou optar por módulos IC2. Para minhas montagens em casa seria inviável passar um chip Atmega2560 para uma montagem final em placa dedicada.

Esse kit que você mostrou seria perto do que pretendo fazer, mas você chegou a ver o preço dele ? Achei no ML por mais de R$2000,00. Se fosse por esse lado eu pegaria um kit do Daniel Quispe que custa R$580,00,  que eu já achei caro, por isso estou querendo fazer um.

https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-709022434-kit-de-microcontr...

Eduardo, o projeto proposto é para uso mesmo, eu nem diria didático, pois estou fazendo projeto finalizados para comercializar, alguns por encomendo, então o placa seria para auxiliar no desenvolvimento dos projetos, poupando tempo na montagem do esqueleto do projeto. 

Não é minha intenção comercializar essa placa/kit de desenvolvimento, só recorri ao LdG pois se tiver mais gente interessada podemos mandar fazer a PCB com qualidade profissional para nós mesmo usarmos.

Abs a todos.

André, veja a minha técnica (em primeira mão) de montagem de protótipos com módulos de Microcontroladores. 

Brevemente, farei um tutorial sobre essa técnica. 

Sobre esse projeto (entrei nesse concurso e ganhei o 9 Lugar). 

https://www.elektormagazine.com/labs/esp32-digital-voltmeter

Ótima solução ! 

Sabe que eu vi um vídeo no Youtube que o cara montou uma placa com os fios por baixo também, para um protótipo. Funciona perfeitamente e sem ficar cheio de jumpers na parte de cima da placa. 

Estou pensando mesmo em montar uma assim.

No passado se usava sem solda, era uma tecnica chamada de wireup

Era usado um fio proprio e um enrolador manual:

também era necessário adicionar soquetes de pinos longos aos integrados. 

Mas ficou na história, não se usa sequer mais integrados DIP. Tudo SMD.

Eduardo, trabalhei por algum tempo com wire-wrap (há muitos anos atrás). 

Muito trabalhoso, caro  e sujeito a problemas.

Uso fio esmaltado de transformador ( esse é o pulo do gato). Os fios são soldados na placa.

Tem que ter mão firme e recomendo o uso de uma lupa de cabeça. 

Minha técnica é enxuta, simples e eficaz (sem mau-contato). 

Boa noite pessoal.

Pra quem trabalhou tantos e tantos anos na IBM sabe bem o que é isto.

Certo  José Gustavo Abreu Murta ?

RV

O terror era deletar pino. Se deletasse um pino errado, F___U ! 

Existia uma ferramenta tipo uma parafusadeira elétrica  que cortava o circuito do pino, sem retirá-lo. 

Terror mesmo era usar delete tool de SLT em board MST e cortar o

plano 2 ou 3.(planos de voltagem).

kkkkkk

RV

RSS

Destaques

Registre-se no
Lab de Garagem
Clicando aqui

Convide um
amigo para fazer
parte

curso gratis de arduino

© 2018   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço