Saudações a todos!

Esse é uma pergunta já manjada e, talvez, sem importância. Já foi discutida aqui, mas precisa ser atualizada

Já ouvi aqui no LAB e em outros sites que o Arduino é coisa de criança e não pode ser usado profissionalmente.

Você usaria o Arduino para controlar uma caldeira de uma indústria?

Acontece que a plataforma evoluiu muito e essa concepção precisa ser revista.

O primeiro erro é achar que "Arduino" é o Arduino UNO.

Não! O Arduino não é apenas uma placa. É um ecossistema formado por:

- Uma filosofia;
- Software;
- Hardware;

Dessa forma, podemos dizer que as placas ESP* da Expressif também pertencem a esse ecossistema, pois podem ser programadas pela IDE do Arduino e usufruir de todas as bibliotecas da comunidade. A mesma coisa quanto aos Attinys e etc, etc...

Os principais argumentos usados contra o Arduino pelo que levantei são:
- Não possui suporte a threads
- ADC de baixa resolução
- A IDE não possui recursos de DEBUG
- A placas não são homologadas no Brasil
- Usam software livre e, portanto, não garantem a propriedade do código

Alguns desses argumentos já não valem mais, pois as novas placas Arduino já possuem ADC de 12 bits e processadores de dois núcleos.
O ESP32 também é bem parrudo nesse sentido e vem com um RTC embutido.

Não vou me alongar muito.

- Vocês conhecem outras desvantagens em usar o "Arduino"?
- Usa "Arduino" em seus projetos permanentes e experimentou problemas ?

Exibições: 593

Responder esta

Respostas a este tópico

Olá J.Cintra,

em algumas oportunidades cogitei a possibilidade de usar em projetos da minha empresa http://www.cinedigital-brasil.com.br 

Mas sempre existe aquele temor de pra que mexer no time que esta ganhando, estou atualmente em um projeto com o Celso Ito que pode ser tornar algo comercial co Raspberry pi, este mês dediquei a conhecer e tirar proveito do ESP32, e posso te assegurar que cada vez me impressiona mais em todos os sentidos, tem tudo para ser um campeão e acho que vai ser. Obrigado por abrir esta discussão.

Abs.

CK

Olá Kwiek!

Sim, considero o RASPBERRY PI um outro mundo pois trata-se de um computador completo capaz de rodar um sistema operacional como Linux ou Windows, enquanto o Arduino é uma placa microcontroladora.

Cada um tem uma área de aplicação, mas os dois se integram perfeitamente.

Um exemplo seria em um sistema de automação residencial onde existiriam Arduinos pela casa controlando relés e sensores e o RaspBerry como uma centralizadora.

Embora eu seja da área de TI (desenvolvo sistemas de bancos de dados para Internet) ainda não me aventurei com o Rasp.

Concordo com você em relação ao ESP32.  Mas o mundo Arduino ainda vai crescer mais.

Indícios:

- Compra da Atmel pela Microchip

- Parceria da Arduino com A Intel

- Parceria Arduino e Microsoft

- Parceria Arduino Adafruit

Etc...

Concordo plenamente J.Cintra, 

Sem duvida o planeta caminha  a passos agigantados para uma nova era, a era da comunicação entre maquinas e usuários, e quando digo maquinas pode ser considerado desde a simplicidade de obter o controle inteligente da energia, como ligar o aquecedor ou o liquidificador, ou operando uma maquina de colheita no campo agrícola ou na industria automotiva por citar somente algumas.

Essas empresas e essa união, não é uma mera compra de empresas ou controle acionário de uma empresa sobre outra, mas sim um investimento para abocanhar este mercado massivo que se aproxima, planejamento, investigação de mercado, e sem duvida também entra a intuição humana que parece abstrata frente a coisas tão materiais como estudo e mercado, mas ela é fator que pode transformar coisas da noite para o dia.

Creio que existe muito mais chance de esse grupo de empresas ganharem grande parte do mercado, do que Espressif, mas de uma coisa tenho certeza, as novas gerações de profissionais que farão parte de todo esse movimento precisa estudar muito para estar pronto na hora que o mercado precisar deles.

Quando tenha oportunidade brinque um pouco com o Raspberry, vai se apaixonar.

Sim conheço muito bem sua especialização em BD, tanto que usei um de seus tutoriais para complementar o meu que os assinantes do meu canal requisitavam, e parabéns pelo seu blog.

Esta semana ainda, lançarei um tutorial sobre automação residencial com o ESP32, tem sido algo muito solicitado no meu canal e resolvi fazer usando a linguagem MQTT.

Abs.

CK

 

O PI nao eh completo se comparar com um PC. mesmo o beaglebone black deixa a desejar se a intencao for controlar por exemplo um sistema linear.
Um exemplo com o PI que eu passei foi ao usar o PartKeepr, eh sofrivel, no php.ini max_execution_time = deixei em 300 que eh um absurdo, Pentium4 com 4gb, HD ATA consigo com max_execution_time = 120, tenho um inventario com 537 componentes integrado com Octopart e tenho um gargalo na hora de baixar um novo componente mas tranquilo, aceitavel, com PI desisti pois  demora muito, ate para integrar com KiCAD passa nervoso.
Automacao residencial eh viavel o PI2 ou 3, beaglebone black.

Eu não usaria o Arduino IDE para implementar um projeto do mundo real..

Por uma série de fatores:

- O Arduino IDE. é ótimo para resolução de problemas simples, porem para projetos complexos se torna inviável.. Sendo assim, prefiro utilizar Qt Creator para modularizar melhor o código, e alem de criar ambientes de testes também, testes são mais importantes que a implementação (kkk).

- Vamos pensar que estamos programando no ESP32 com Arduino IDE.. Como sabemos, o ESP32 possui dois nucleos de processamento..  Teu codigo Arduino utilizaria apenas 1 nucleo para execuçao de tarefas.. No que deixa a 2 cpu não utilizada..

- Muitos desenvolvedores até implementam suas soluções no Arduino IDE de forma rápida, mas esquecem de fazer a proteção de segurança do firmware, no que acarreta num sistema inseguro..  

Mas vejo que, o Arduino IDE é excelente para aprendizagem, pois é simples e bem intuitiva.

Olá Wallace!

A IDE do Arduino é um dos pontos fracos da plataforma, realmente.

Outro ponto fraco é o próprio site do Arduino que é meio bagunçado e tem muito material desatualizado.

Porém, a IDE tem alguns pontos fortes também, como o gerenciador de bibliotecas que ajuda a manter sempre a última versão do software na sua máquina. Outro ponto é a contribuição da comunidade.

Existe um movimento de mudança quanto a isso. Um exemplo é o Arduino WEB Editor que está compondo agora  a plataforma Arduino Create

Mas isso acontece com outras linguagens também que oferecem centenas de IDEs para o usuário escolher.

Obrigado pela sua contribuição alertando sobre a correta utilização das ferramentas de desenvolvimento do Arduino.

Nós fazemos parte da comunidade Arduino e, por isso, é importante divulgarmos esses pontos para a melhoria contínua da plataforma. 

Grande tópico!

Eu queria mesmo saber mais da opinião dos sábios colegas a este respeito.

Mas vou botar mais lenha na fogueira. Já botei, na verdade, na Latinoware 2017, por coincidência falando sobre este tema, que eu acho muito importante, então aqui vai minha humilde contribuição:

https://www.youtube.com/watch?v=GQbj558zG6A&t=271s

E prá esquentar mesmo o caldo, quero apresentar a vocês meu amigo Pablo Ridolphi, professor de eng. elétrica na Universidad Argentina, que na mesma Latinoware nos brindou apresentando uma CLP industrial aberta, baseada no Arduino Due, que tem sido bastante utilizada na indústria por lá, especialmente na agro-industria: 

https://www.youtube.com/watch?v=iYDCDG_aVxo

Bacana, ja marquei aqui de ver tudo depois..

Olá Alexandre!

Ótimas apresentações!

Sim, seria bom ouvir depoimentos de quem já usou na prática a plataforma em produção para desmistificarmos (OU NÃO!) esse rótulo do Arduino

Comprei o Controlino e IndustrialShields, tentei compra o que era oferecido aqui pelo laboratorio mas jah havia parado.
Tentei comprar esse https://dlidirect.com/products/diy-programmable-controller mas o pessoal lah nao responde muito, tenho a impressao que eh falso.

Minha impressao do Controlino e Industrialshields sao bons, para quem quer usar Arduino poupa o trabalho de montar tudo, tipo colocar LED para cada pino que for usado, isolacao, usar DIN etc.
Mas quando vc compara um Siemmens com Controlino vc tem de levar muita coisa em consideracao, nao usei ainda Siemmens mas por exemplo Keyence (Siemmees esta junto com Keyence agora no Japao) o representante vem na minha empresa, se o problema for CLP vem um especialista, marca o horario e fica o dia inteiro se for o caso explicando, se eu tiver um problema no dia seguinte tenho uma peca nova na mao, daqui 20 anos tenho certeza que essa empresa vai estar no mercado.

Documentacao, em ambos Arduinos industriais deixa a desejar, Controlino e Industrial eu recebi papel sulfite A4 com intrucoes basicas, 4 folhas dobrado no meio para formar um bloco de intrucao.
Mitsubishi, Keyence, Omron tem farta documentacao, Mitsubishi eh imbativel nesse quesito, com diversos exemplos de cabeamento, ta certo que parte do presuposto que quem esta lendo entende o conceito.

outro ponto eh o custo do profissional em C/C++ e um cara que manja ladder, aqui no Japao um cara que manja C/C++ sai mais caro que um profissional de ladder, faz parte do custo isso tbm.

Minha empresa eh pequena, nao tem como termos um cara dedicado apenas a programacao no momento, tem muio cliente que eh instalacao antiga, muita sujeira e um profissional C/C++ na minha experiencia nao esta muito na ideia de se sujar para verificar problemas, manutencao programada etc.

Nao rola eu deixar um funcionario fazer o que gosta, do jeito dele (mesmo que eu goste), imagina o cara resolve me deixar na mao, encontrar um substituto, esse substituto entender toda personalizacao do antigo funcionario, mesmo estando tudo documentado (cliente recebe tudo, desenho tecnico da parte mecanica ate eletrica, ladder ou c/c++codigo impresso em papel)...nossa, nao rola aqui.
Imagina o exeplo o relay shield seu, se ele conseguir fazer em 15 minutos eh aceitavel pois eu pago num da Omron G2R2-SR com base e tudo US$7, ultra fino com LED indicador e diodo, terminal plug in (nao precisa de parafuso, tendencia na industria)
Acho que tem de levar em consideracao mais aspectos do que apenas o custo inicial de adquirir um componente, ate mesmo que mil dolares ou dez mil dolares na eh nada para um equipamento industrial.


Foto do IndustrialShield, do Controlino nao tirei na epoca, 2 maquinas eu havia colocado MEGA mas substitui por Keyence KV-40DR por causa do sistema Vision deles, inclusive eles se eu requisitar me emprestam o que eu pedir, nao rola com os Arduinos esse tipo der coisa, uma AMADA IW45II de uso aqui na empresa coloquei Arduino Mini, a fonte o capacitor vazou e danificou a placa, equipamento antigo mas muito caro para substituir a eletronica por algoda AMADA, optamos pelo Arduino, tem um servo com encoder nela de 60V.

No meu ponto de vista, vejo duas utilizações para o Arduino: um projeto onde não tenho muito tempo para programar e digamos que por exemplo queira fazer um controlador de motor por tempo e algo assim, é muito mais fácil pegar um attiny e pegar um código praticamente pronto da internet, e ou, um projeto mais complexo que não pretendo aprender como funciona, só preciso que funcione, por exemplo um webserver com Arduino e cartão SD ou um controlador tipo "GRBL" ou "marlin" de cnc's hobby.

Mas já fiz desde controladores PWM comerciais tanto com pic12f como com attiny10. Recentemente estou com alguns controladores com LCD tanto com pic16f628 como com atmega328.

O que acho muito ruim da plataforma arduino, é a bagunça que as bibliotecas fazem ....

Rodrigo, legal esse seu depoimento sobre seus projetos com o 328.

Concordo com você. O site do Arduino é bagunçado e existem muitas bibliotecas antigas para download que causam conflito. O ideal é sempre se guiar pelo GITHUB onde as atualizações estão centralizadas.

RSS

Destaques

Registre-se no
Lab de Garagem
Clicando aqui

Convide um
amigo para fazer
parte

curso gratis de arduino

© 2018   Criado por Marcelo Rodrigues.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço